Jeff Bezos quer indústria pesada fora da Terra e colônia permanente na Lua
29
Compartilhamentos

Jeff Bezos quer indústria pesada fora da Terra e colônia permanente na Lua

Último Vídeo

Assim como Elon Musk, Jeff Bezos também vem disputando a corrida pela exploração espacial, com sua companhia Blue Origin. O dono da Amazon tem ambições de tirar a indústria pesada da Terra e esboça um grande projeto, que teria a parceria da NASA e da Agência Espacial Europeia (ou European Space Agency — ESA), para manter uma colônia permanente na Lua.

“Teremos que sair deste planeta. Vamos deixá-lo e isso vai torná-lo melhor. Nós vamos e quem quiser pode ficar”, disse Bezos, em entrevista ao Geek Wire, durante a International Space Development Conference, na noite da última sexta-feira (25). A curto prazo, o objetivo da Blue Origin é reduzir o custo de acesso ao espaço. Isso deve acontecer, inicialmente, com a espaçonave suborbital New Shepard, e na sequência com o foguete New Glenn, em algum momento dos anos 2020.

new glenn blue originIlustração do foguete reutili´zav eNew Glenn, da Blue Origin

A longo prazo, a visão de Bezos é facilitar o caminho para que milhões de pessoas trabalhem no espaço. Seu conceito projeta gente vivendo e trabalhando em asteróides vazios — o que já foi proposto décadas atrás por O’Neill, um físico de Princeton cujas idéias sobre o assentamento espacial inspiraram o executivo.

Lua seria essencial para montarmos uma “rede espacial de trabalho”

Bezos acredita que o trabalho pesado para que possamos nos desenvolver como exploradores do espaço precisa ser construído em postos movidos a energia solar. Essa, aliás, seria também a saída para deixar a Terra — e procurar por mais recursos em outros planetas. Nosso mundo seria zoneado para uso residencial e industrial leve, enquanto os processos brutos e que mais poluem o meio-ambiente seriam transportados para fora.

Lua pode ser alcançada em alguns dias com o propulsor adequado e teria condições de converter ar e água potável 

“A Terra não é um lugar muito bom para se fazer indústria pesada. É conveniente para nós agora, mas em um futuro não muito distante — estou falando de décadas, talvez de 100 anos — vai ficar mais fácil de fazer muitas das coisas que atualmente fazemos na Terra no espaço, porque até lá teremos muito mais energia.”

E o que seria o diferencial para encurtar a distância entre os planos a curto e longo prazo? É aí que entra o projeto lunar de Bezos. Ele apontou que a lua está convenientemente localizada e pode ser alcançada em apenas alguns dias com o propulsor certo. Os cientistas determinaram que há depósitos de gelo perto dos pólos e os mesmos poderiam ser convertidos em água potável, ar respirável e propelentes para reabastecer foguetes. “É quase como se alguém tivesse deixado isso para nós”, diz.

Blue Origin quer parceria das agências espaciais para acelerar o processo

A Blue Origin propôs a construção de sua nave Blue Moon sob termos de uma parceria mista, pública e privada, com a NASA. "A propósito, faremos isso, mesmo que a NASA não faça isso. Eventualmente, vamos realizar isso. Mas poderíamos fazer muito mais rápido se houvesse uma parceria”, explica Bezos.

Vale destacar que o retorno à lua não é uma ambição exclusiva de Bezos e a NASA já considera essa volta, incluindo o trabalho conjunto com outras companhias, a exemplo da SpaceX, United Launch Alliance e Masten Space Systems. Há também o conceito residencial Moon Village, da ESA.

O dono Amazon lucra atualmente US$ 1 bilhão por ano com suas ações e tem um patrimônio líquido de mais de US$ 130 bilhões. Isso lhe dá fôlego financeiro de sobra para apostar em foguetes, landers, rovers e o que mais for necessário para concretizar seus projetos espaciais.

"Vamos fazer tudo o que precisamos. Espero que não tenhamos que fazer nada disso, quero que outras pessoas construam essas coisas. Mas, se necessário, faremos isso”, disse Bezos. "Uma das duas coisas vai acontecer. Ou as outras pessoas vão assumir essa visão ou eu vou ficar sem dinheiro”, afirmou. E certamente vai demorar um bocado até que ele fique sem dinheiro.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.