Sabia que é terminantemente proibido levar cachorros à Antártida?
770
Compartilhamentos

Sabia que é terminantemente proibido levar cachorros à Antártida?

Último Vídeo

Você já deve ter visto fotos de exploradores posando com os cães fiéis levados à Antártida para puxar trenós ou ajudar no transporte de suprimentos, certo? Pois pode ter certeza que essas imagens são antigas; as mais recentes foram capturadas — como muito tarde — nos anos 90, ou seja, há mais ou menos 2 décadas. Isso porque é terminantemente proibido levar cachorros ao continente gelado, assim como plantas e qualquer animal que não seja nativo de lá, sabia?

Não pode!

De acordo com Lexi Krupp, do site Popular Science, atualmente a Antártida funciona como uma gigantesca reserva natural — e, na década de 90, um tratado internacional determinou que qualquer espécie animal ou vegetal que não seja nativa do continente ficaria banida de ser introduzida no ambiente antártico.

Cães na AntártidaCães que participaram de uma das várias expedições que ocorreram na Antártida no passado (ArtFido)

A ideia por trás da proibição é evitar que organismos não naturais de lá acabem interferindo na vida presente no continente ou acabem contaminando o local com possíveis doenças, por exemplo. E no caso dos cães, especificamente, o banimento é uma excelente iniciativa para o seu bem-estar. Afinal, com base nos registros que existem das expedições realizadas na Antártida, os pobrezinhos não se deram muito bem nas viagens.

Segundo Lexi, houve, por exemplo, uma expedição norueguesa em 1911 cujo propósito era chegar ao Polo Sul, e o time iniciou uma viagem com 52 cachorros na equipe. Os exploradores conseguiram conquistar o desafio e não teriam tido sucesso sem a ajuda dos animais, mas apenas 11 dos bichinhos terminaram a aventura com vida. Infelizmente, além de muitos perecerem por conta das duríssimas condições do ambiente antártico, a maioria foi parar na barriga dos humanos.

Dramas caninos

Sim, caro leitor, dos cães que morreram, a maioria virou comida dos exploradores, sem falar que, dos 11 que sobreviveram, apenas 1 voltou à Noruega! E essa não é a única história chocante envolvendo esses pobres animais.  No final da década de 50, uma expedição composta por cientistas japoneses levou uma matilha composta por 15 huskies para que os cachorros os ajudassem a estabelecer uma base de pesquisas em uma ilha no litoral antártico.

Filhote de cachorroPecado... (ArtFido)

Tudo correu bem durante o primeiro ano por lá; então, quando os cientistas deixaram a ilha para serem substituídos por um segundo grupo, rolou uma baita de uma tempestade que forçou uma evacuação de emergência e impediu que o novo time chegasse à base. Os pesquisadores tiveram que ser removidos de helicóptero e, portanto, foram obrigados a deixar os 15 cães para trás.

Os coitadinhos foram abandonados com água e comida suficiente para vários dias, mas os cientistas japoneses tiveram que esperar um ano inteiro para retornar à base. O mais surpreendente — e comovente — é que, ao chegarem às instalações, os pesquisadores se depararam com dois cães da matilha ainda vivos, esperando a volta dos humanos, e os bichinhos receberam o time cheios de alegria. Dó, né? Pensando nos bichinhos que pereceram na Antártida, que bom mesmo que eles são banidos de ir até lá!

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.