Acidente trágico provoca a morte de um dos tigres mais raros do mundo
386
Compartilhamentos

Acidente trágico provoca a morte de um dos tigres mais raros do mundo

Último Vídeo

Você já deve ter ouvido falar bastante dos tigres-de-sumatra, não é mesmo? Da espécie Panthera tigris sumatrae, esses felinos majestosos são nativos da ilha de Sumatra, na Indonésia, e se encontra listado como criticamente ameaçado de extinção na Lista Vermelha da IUCN — União Internacional para Conservação da Natureza —, com uma população estimada menos de 400 indivíduos vivendo na natureza.

Acidente trágico

Pois, infelizmente, um exemplar fêmea desse animal foi encontrado morto e, pior, exames revelaram que a tigresa estava prenha. E como uma coisa dessas foi acontecer? Um caçador local armou uma armadilha no início da semana para capturar porcos selvagens, mas quando foi conferir o que a arapuca tinha pego, descobriu o felino.

Tigresa mortaOlhe só, que dó... (Phys Org)

Pelo menos, o sujeito entrou em contato com as autoridades locais para comunicar o ocorrido. Entretanto, quando os oficiais chegaram ao local, o tigre tinha desaparecido. Uma busca foi organizada para encontrar o animal, mas, quando o felino foi achado, a cerda de 150 metros de onde a armadilha tinha sido montada, ele já estava morto.

Exame em tigre mortoUma pena (The Washington Post/Rafka Majjid/Associated Press)

O felino foi descoberto com uma corda bem apertada em seu abdome, e foi isso o que o matou. Segundo os especialistas, a tigresa tinha aproximadamente 4 anos e estava esperando dois filhotinhos, um machinho e uma fêmea, e os exames realizados no corpo revelaram que a corda provocou a ruptura de um rim — o que significa que ela sofreu uma morte lenta e dolorosa.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.