Cientistas etiquetam tubarão raro com submarino

Cientistas etiquetam tubarão raro com submarino

Último Vídeo

Uma equipe de biólogos marinhos fez história ao identificar um tubarão-albafar (Hexanchus griséus), também conhecido como cação-bruxa, por meio de um submarino. O animal é uma espécie que vive há milhares de metros abaixo do nível do mar e se move para as águas mais rasas durante a noite para se alimentar.

A OceanX divulgou os vídeos impressionantes do tubarão com uma trilha sonora bem sinistra, olha só:

 

Como o tubarão-albafar vive no mar profundo, sabemos relativamente pouco sobre esse gigante isolado. Ele mede aproximadamente 4,5 metros, mas podem chegar a 8 metros e pesar até 600kg. Essa espécie é extremamente primitiva e até hoje é um predador dominante no seu habitat.

Agora que os pesquisadores conseguiram identificar os tubarões por meio dos submarinos, espera-se que eles consigam rastrear alguns animais individualmente para ter uma melhor compreensão dessas criaturas misteriosas.

Embora os cientistas tenham conseguido com sucesso atrair seis tubarões para a superfície com o objetivo de analisá-los, o processo pode deixar os bichos desorientados e confusos – algo que é ruim para eles e que também torna a pesquisa menos confiável. A equipe da OceanX afirma que as informações podem ser distorcidas, já que leva algum tempo até que o tubarão volte a se comportar normalmente.

Agora, com o submarino, a esperança é de que eles consigam rastrear os animais em seu ambiente favorito, a 2.500 metros abaixo do nível do mar. Foram feitas duas tentativas, a primeira delas em agosto de 2018, mas todas fracassaram em conseguir aplicar uma etiqueta de satélite no animal. A terceira, em junho de 2019, foi bem sucedida.

A conquista não foi fácil e foram três dias tentando até que os cientistas conseguissem marcar um macho grande. O que prova que agora, com a ajuda da tecnologia dos submarinos, vamos poder descobrir muito mais sobre o misterioso mundo no oceano.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.