Vilão silencioso: bolinhas de plástico estão dominando o mundo

Vilão silencioso: bolinhas de plástico estão dominando o mundo

Último Vídeo

Os canudos plásticos são os vilões da vez — cada vez mais estabelecimentos estão se livrando do objeto e fazendo disso uma jogada de marketing que tem dado resultado. Alguns anos atrás, o combate foi com o uso de sacolas plásticas. Alguns países já baniram as sacolinhas e no Brasil, mesmo que a passos lentos, isso também começa acontecer.

Essas são, sem sombra de dúvidas, atitudes sustentáveis, já que um dos pilares da proteção ao meio ambiente começa, justamente, com o reduzir o consumo. No entanto, neste mesmo momento em que evitamos ao máximo usar canudinhos plásticos, a indústria do plástico, silenciosamente, está encontrando maneiras de continuar sua expansão. 

Recentemente, a gigante do petróleo Royal Dutch Shell anunciou a abertura de uma enorme fábrica na Pensilvânia, nos Estados Unidos, para a produção de plástico virgem. A nova fábrica contou com a celebração do presidente americano Donald Trump, mas esconde uma verdade preocupante: a Shell quer aumentar a produção de matérias-primas plásticas em 33% até 2025.

Bolotas de plástico

Hoje, produzir plástico virgem é mais barato do que usar material reciclado. E com o intuito de facilitar o transporte do novo plástico, a indústria produz ele em forma de bolinhas de plástico, conhecidas como nurdles. A preocupação dos ambientalistas e estudiosos é que muitos desses pedacinhos irão se perder no meio ambiente antes que a matéria-prima seja processada para ser transformar em outros produtos.

Como comparação, pense nas perdas que acontecem quando um caminhão transporta soja, por exemplo. Você já deve ter reparado em alguma viagem que, quase sempre, uma parte do produto “vaza” para fora da carreta. Aparentemente, sem problemas, certo? Mas imagine isso multiplicado por um ano? Ou por uma década?

Em um mundo onde tanto se combate o plástico, onde vemos tantos animais morrendo em decorrência de vestígios de embalagens nos oceanos, há de se compreender que esse aumento na produção de plástico virgem é realmente uma ameaça ao meio ambiente, não é mesmo?

Crianças recolhendo bolotas que chegaram à margem de uma praia depois de um acidente com navios. Foto: Reprodução Quartz

Exagero?

Para quem duvida do problema real,um estudo recente descobriu que algumas empresas de plástico no Reino Unido perdem entre 5 bilhões e 35 bilhões de pelotas de plástico por ano. Em 2017, dois navios de transporte colidiram, derramando 49 toneladas métricas de pelotas no mar e revestindo 2 mil quilômetros da costa da África do Sul.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.