Thomas Busby e a história de sua cadeira amaldiçoada

Thomas Busby e a história de sua cadeira amaldiçoada

Último Vídeo

O Museu de Thirsk está localizado na cidadela de Thirsk, no distrito de Hambleton, em North Yorkshire, na Inglaterra. O museu foi estabelecido dentro da casa de Thomas Lord, um jogador profissional de críquete que ficou conhecido por ser o fundador do grande campo de críquete de Londres – o Lord’s Criquet Ground.

Através dos 8 cômodos da casa, o público tem a oportunidade de descobrir como era um pouco a vida doméstica no Vale de Mowbray no idos anos de 1700 e 1800, passando pelos trabalhos de artesãos da época, equipamentos agrícolas, fantasias e brinquedos. Inclusive, a Sociedade de Museus organiza palestras sobre a história local para tornar o tour ainda mais informativo.

No entanto, entre tantas coisas, nenhuma delas consegue chamar mais atenção do que a velha cadeira de Thomas Busby pendurada em um canto da casa para que ninguém se atreva a se sentar. Até hoje o móvel atrai visitantes para a cidade pelo simples fato de ser considerado amaldiçoado. 

O bêbado e o criminoso

(Fonte: VietBf/Reprodução)
(Fonte: VietBf/Reprodução)

No final do século XVII, Busby era conhecido por ser um ladrão, bêbado e vagabundo que vivia pelas ruas de North Yorkshire até que seu caminho cruzasse com o de Daniel Awety, um falsificador de moedas que se mudara para Kirby Wiske (uma vila localizada a cerca de 6,5 km a noroeste de Thrisk, ao lado do rio Wiske).

Para Awety, o local pacato e sem muita patrulha era perfeito para que ele conduzisse suas atividades ilícitas. Portanto, ele comprou uma velha fazenda, batizada por ele de Danotty Hall, e construiu salas e túneis subterrâneos para dar continuidade ao seu negócio.

Busby se apaixonou por Elizabeth Awety, filha do homem, e eles acabaram se casando. Apesar de ter reprovado a união do casal, Awety se tornou tão amigo do genro que resolveu convidá-lo para fazer parte de seu negócio ilegal.

Foi nessa época que Busby juntou dinheiro o suficiente para comprar uma pousada, que batizou de Busby Stoop Inn, localizada perto de Sandhutton, a cerca de 5 km da fazenda Danotty Hall.

Busby largou a vida das ruas e os furtos que cometia, porém não conseguiu deixar de lado o vício na bebida, e acredita-se que esse tenha sido o estopim para tudo o que aconteceu.

O martelo sangrento

(Fonte: Fine Art America/Reprodução)
(Fonte: Fine Art America/Reprodução)

Foi em meados de 1702 que Busby se envolveu em uma forte discussão com Awety, provavelmente motivada pelas bebedeiras do homem que afetavam o seu casamento e o desempenho nos negócios.

Nesse dia, Awety foi até a pousada para resgatar a filha e encerrar a parceria com o genro. Ele se sentou na cadeira favorita dele e esperou até que o homem chegasse de mais um dia de bebedeira. Busby teria se enfurecido ao ver Awety sentado em seu lugar preferido, ainda mais dando ordens sob o teto que nem o pertencia.

Awety teria o agredido e levado Elizabeth embora mesmo sob as promessas do genro de que ele pagaria caro por isso. Horas mais tarde, Busby invadiu a propriedade de Daniel Awety e o assassinou a marteladas. Ele escondeu o cadáver do sogro na floresta, mas rapidamente o desaparecimento do homem gerou uma busca pelas redondezas, e não foi muito difícil de localizá-lo.

A famosa cadeira de Busby no museu. (Fonte: Seeks Ghosts/Reprodução)
A famosa cadeira de Busby no museu. (Fonte: Seeks Ghosts/Reprodução)

É provável que Elizabeth tenha denunciado o próprio marido, mas a prova do crime (o martelo) foi encontrada em posse de Busby quando ele foi preso na pousada, enquanto descansava em sua cadeira de balanço favorita.

Foi no verão de 1702 que Thomas Busby foi julgado, considerado culpado pelo assassinato de Daniel Awety e condenado à forca. De acordo com a história, ele teria pedido para tomar uma última bebida em sua cadeira de balanço antes de ser encaminhado para o cadafalso. Depois que teve o seu pedido realizado, Busby teria amaldiçoado a cadeira para que qualquer um que ousasse se sentar nela tivesse uma morte trágica. No entanto, uma segunda versão da história aponta que o pedido teria sido negado pelos guardas, por isso o criminoso amaldiçoara o objeto.

Thomas Busby foi enforcado, depois teve o corpo cortado, mergulhado em piche e pendurado para secar antes de ser descartado como lixo.

As vítimas de Busby

(Fonte: Yellow Bullet/Reprodução)
(Fonte: Yellow Bullet/Reprodução)

Acredita-se que a maldição tenha feito sua primeira vítima em uma noite de 1894, quando um limpador de chaminés bebeu na pousada que era de Busby e se sentou na cadeira para dormir. No dia seguinte, ele foi encontrado morto perto do local onde Busby fora enforcado. A polícia pensou que era um caso de suicídio, porém o amigo do homem admitiu que havia cometido o assassinato.

Em uma época cercada por mitos e superstições, não demorou muito para que a história da maldição se propagasse, à medida que as pessoas se sentavam na cadeira e acabavam mortas. Durante a Segunda Guerra Mundial, os habitantes locais contabilizaram 60 vítimas da “cadeira maldita”.

Quando a pousada se tornou um pub que servia de ponto de encontro para os soldados ingleses, a cadeira rapidamente foi alvo principal de desafios e brincadeiras. Pessoas relataram que vários jovens tiveram encontros fatais com a morte depois que tiveram contato com o objeto. Segundo moradores locais, o caso mais impactante foi o de dois aviadores que se sentaram na cadeira amaldiçoada e morreram em um acidente de carro no mesmo dia.

(Fonte: Goodreads/Reprodução)
(Fonte: Goodreads/Reprodução)

Já em 1970, vários motoristas perderam a vida após se aproximarem da cadeira. Uma mulher foi diagnosticada com câncer, e um homem chegou a ter um ataque cardíaco fulminante após se sentar na cadeira depois de perder um desafio que envolvia vários rounds de bebida.

O ciclo de acidentes e mortes foi interrompido em 1978 quando o dono do pub decidiu doar a cadeira para o Museu de Thirsk, onde permanece lá até hoje em uma posição que ninguém pode alcançá-la, tal como a boneca Annabelle em sua cela de vidro benzida.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.