Naufrágio nazista pode guardar tesouros de palácio real russo

Naufrágio nazista pode guardar tesouros de palácio real russo

Último Vídeo

Mergulhadores encontraram um naufrágio nazista afundado no fim da Segunda Guerra Mundial, o qual acredita-se conter um tesouro extremamente valioso do embate: a mobília perdida da Câmara de Âmbar do século 18, que foi roubada pelos alemães do Palácio Real de Catarina em Tsarskoye Selo, na Rússia.

Os destroços foram descobertos no norte da Polônia na costa da cidade de Utska, onde estavam submersos a uma profundidade de 88 metros. De acordo com o membro da Baltictech que liderou a busca, Tomasz Stachura, os restos do navio foram achados após um ano de investigações pelo solo do Oceano Báltico. 

Operação Hannibal

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

A embarcação chamada de “SS Karlsruhe” possui 60 metros de comprimento e, segundo os historiadores, fez parte da “Operação Hannibal”, que marcou a evacuação alemã no oeste da Prússia em meados de 1945. Na época, as forças nazistas iam perdendo espaço para o Exército Vermelho Soviético, que avançada rumo ao leste na frente de batalha.

No dia 12 de abril daquele ano, a SS Karlsruhe tornava-se a última embarcação a cidade de Königsberg, que hoje dá espaço para Kaliningrado, na Rússia. No dia seguinte, o navio foi atacado pelas forças aéreas soviéticas e naufragou.

Muitos pesquisadores acreditam que as caixas carregadas pela frota continham os restos da Câmara de Âmbar, um cômodo decorado com painéis de âmbar e espelhos banhados a ouro que foi saqueado pelos alemães enquanto perdiam a guerra.

A câmara original foi trabalho conjunto de artesãos russos e alemães e, provavelmente, possuía os últimos objetos de valor que poderiam ser levados pelos nazistas enquanto estes ainda não haviam sido completamente massacrados.

Estudos sobre o naufrágio

(Fonte: Baltictech/Tomasz Stachura)
(Fonte: Baltictech/Tomasz Stachura)

Conforme noticiado pela United Press International (UPI), estima-se que todos os artefatos que faziam parte da Câmara de Âmbar cheguem a valer cerca de US$ 500 milhões na cotação atual. 

Segundo Stachura, o naufrágio está relativamente intacto e a equipe de mergulhadores pode avistar veículos militares e uma grande quantidade de caixas. Porém, ainda não se sabe exatamente se o conteúdo dentro das caixas é de fato a mobília da Câmara de Âmbar ou não.

Em primeiro momento, a equipe está concentrada em realizar o inventário da embarcação e documentar a descoberta em vídeo e fotografias. Em seguida, os mergulhadores farão uma reunião com o Escritório Marítimo de Gdynia, na Polônia, para decidir se será possível recuperar a carga para análise.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.