Seja o primeiro a compartilhar

Lesmas decapitadas podem criar um coração e corpo novos

Cientistas da Universidade Feminina de Nara, no Japão, descobriram o caso definitivo de regeneração: algumas lesmas-do-mar decapitadas podem regenerar corações e corpos inteiros em poucas semanas.

As pesquisadoras relatam que a cabeça do bicho, separada do coração e do corpo, moveu-se sozinha imediatamente após a separação. Em poucos dias, a ferida na parte de trás da cabeça fechou e ela começou a se alimentar de algas em poucas horas. A regeneração do coração começou em uma semana e foi concluída em cerca de três semanas.

Imagem: Sayaka Mitoh via AP/ReproduçãoImagem: Sayaka Mitoh via AP/Reprodução

Segundo as cientistas, como os corpos regenerados das lesmas costumam ficar ativos por meses, será possível estudar o mecanismo e as funções da cleptoplastia usando órgãos, tecidos ou mesmo células vivos. Esses estudos são quase inexistentes, já que a maioria das pesquisas sobre o assunto é feita ao nível genético ou individual.

Estudos ainda são preliminares

Ainda não se sabe como as lesmas do mar conseguem se regenerar desta forma. As cientistas acreditam que elas têm células semelhantes tanto no tronco quanto na extremidade cortada do pescoço que são capazes de regenerar o corpo.

Imagem: Sayaka Mitoh via AP/ReproduçãoImagem: Sayaka Mitoh via AP/Reprodução

As pesquisadoras também sugerem que as lesmas podem usar a capacidade fotossintética dos cloroplastos que incorporam das algas em sua dieta para sobreviver o tempo suficiente para a regeneração.

Os resultados dos experimentos foram publicados na Current Biology.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.