Conheça a história do Pyrex e de como ele revolucionou cozinhas pelo mundo
82
Compartilhamentos

Conheça a história do Pyrex e de como ele revolucionou cozinhas pelo mundo

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

O Pyrex é um acessório que está presente em muitas cozinhas do mundo inteiro, auxiliando no preparo de alimentos e na decoração da mesa. Porém, você sabe qual é a origem deste produto, que resiste a altas temperaturas?

Originalmente, o vidro borossilicato era usado em lanternas em estradas para resolver um problema específico: o calor das lanternas junto com o frio do vento gelado do inverno faziam com que vidro comum quebrasse.

Porém, em 1913, os cientistas de uma empresa chamada Corning Glass Works, que desenvolveu esse material miraculoso, começaram a procurar novos usos para o produto.

Um feliz acidente

Em 1914, Bessie Littleton, esposa de um dos funcionários da Corning, estava procurando uma travessa para substituir uma de cerâmica que havia quebrado ao ir ao forno. Ela questionou o marido se a companhia em que ele trabalhava não fabricava algo do tipo.

Para agradar a esposa, o senhor Littleton trouxe para casa uma espécie de jarra de vidro resistente a calor da empresa que era usada em autoestradas. O objeto sofreu algumas leves adaptações para que parecesse com uma caçarola e Bessie a usou para assar um bolo.

A moça ficou impressionada com a praticidade e resistência do recipiente, que permitiu não apenas cozinhar a sobremesa em um tempo menor que nas formas de metal ou cerâmica disponíveis na época, como também verificar se o quitute estava bem assado em todos os lados.

Cozinhando em caçarolas de vidro

A partir dessa primeira experiência, a companhia aprimorou o material e, em 1915, lançou a primeira linha de produtos para cozinha Pyrex. Porém, houve uma certa resistência por parte do público, que achava meio louca a ideia de cozinhar com vidro. Além disso, o preço inicial era um tanto elevado e fazia com que o produto fosse um objeto de luxo.

Para fomentar as vendas, a Corning Glass Works alterou um pouco o processo para aumentar a eficiência da produção e baratear o custo. As campanhas publicitárias da época também começaram a enfatizar os atributos que impressionaram tanto a senhora Littleton: distribuição de calor mais rápida e eficiente, além da vantagem de poder ver o que está sendo cozinhado.

Outro detalhe que também ajudou bastante foi a Primeira Guerra Mundial. Como o metal estava em falta por causa da grande demanda da produção de artigos bélicos, havia um motivo patriótico em optar por um produto que fosse de outro material.

Todos esses pequenos detalhes ajudaram muito a alavancar as vendas e, em 1919, apenas quatro anos após o lançamento, a empresa já havia vendido mais de 4 milhões de itens para cozinha.

Inovações

Entretanto, o sucesso não ofuscou a visão empreendedora da fabricante. Em 1931, Lucy Maltby, uma professora de economia doméstica que havia sido contratada pela Corning dois anos antes, decidiu construir uma cozinha de teste que utilizava o feedback dos consumidores para desenvolver novos itens.

Lucy foi a responsável por algumas mudanças essenciais para os produtos, como adicionar alças às formas de bolo, para que fossem mais fáceis de manusear, e modificar alguns recipientes para que eles coubessem melhor nos fornos da época. Além disso, a companhia começou a levar mais em conta as dificuldades que as donas de casa comuns encontravam no preparo de alimentos.

Cores para todos os gostos

A partir dos anos 40, a empresa lançou uma linha de utensílios coloridos para agradar as consumidoras que adoravam o produto, mas queriam mais cores na cozinha pois estavam enjoadas do vidro transparente e sem graça.

Independentemente da cor, a verdadeira revolução do Pyrex foi a ideia de ser um produto que poderia ir do forno direto para a mesa de jantar por ser bonito, algo que a pessoa que preparou a refeição tinha orgulho de apresentar junto com o alimento.

E por conta disso, apesar de ser uma invenção com mais de 100 anos, o Pyrex ainda consegue achar lugar na cozinha de muitas pessoas no mundo inteiro. Mesmo que você ainda tenha algum produto da companhia em casa, provavelmente não sabia que ele carregava tanta história. Quem sabe isso não rende uma conversa interessante no próximo jantar?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.