O que fazer se seu chefe te convidar para “eventos voluntários forçados”?
175
Compartilhamentos

O que fazer se seu chefe te convidar para “eventos voluntários forçados”?

Último Vídeo

Relacionamento com o chefe e com a empresa onde se trabalha pode ser ótimo em muitos casos, mas em outros pode ser motivo de insatisfação e até problema para algumas pessoas. Muitas podem ser as razões que causam esse tipo de situação, por isso, dicas de como se portar ou lidar com os seus superiores podem ser essenciais para evitar estresse durante o expediente.

Aqui no Mega Curioso nós já mostramos diversos artigos nesse sentido. Entre eles está a dica de como agir quando seu chefe roubar uma ideia sua e as sugestões de como lidar com a situação quando você percebe que seu chefe não sabe o que está fazendo. Você pode fazer uma busca em nosso site para conferir outros casos como esses. Porém, agora, nós apresentamos um artigo que conta com algumas sugestões de comportamento quando seu chefe está te convidando (se é assim que podemos dizer) para eventos voluntários “não tão voluntários assim” da empresa.

O site Fast Company publicou um texto produzido pela especialista em carreiras Alison Green cujo título é “O que eu posso fazer se meu chefe está me forçando a ser voluntário em eventos da companhia?”. A autora mostra a sua visão diante de uma situação relatada por um leitor de seu blog e sugere opções de atitudes a serem tomadas no caso.

O que causa mais frustação

Na mensagem enviada a Alison Green, o leitor não identificado conta que, recentemente, ele e seus colegas têm recebido alguns emails que, na teoria, deveriam alertar e convidar os funcionários da empresa para eventos voluntários fora do horário normal de trabalho. No entanto, a forma de abordagem e a linguagem utilizada estão fazendo todos se sentirem pressionados a comparecerem.

Como o próprio leitor descreve, as mensagens utilizam frases chantagistas e ameaçadoras. “Nós recomendamos fortemente que você compareça ao evento deste fim de semana. Tenha uma excelente sexta-feira!” é uma das frases mencionadas. O funcionário usa outro exemplo simbólico de conteúdo dos emails: “Liderança é um ponto levado em conta nas avaliações. Nós acreditamos que comparecer ao evento voluntário desse fim de semana mostra liderança. Falta de voluntariado não mostra liderança”.

Para completar, o leitor do blog ainda menciona alguns pontos que deixam os “possíveis voluntários” ainda mais incomodados com a situação. Entre eles estão o pouco tempo de antecedência dos avisos; o fato de que o chefe e a pessoa responsável pelos emails enviados aos funcionários não apareceram em nenhum dos eventos até o momento; as pessoas que marcam presença em tais ocasiões são sempre as mesmas, e isso soa um pouco injusto; e, por último, eles também estão fazendo um forte apelo para que se doe dinheiro para a caridade ou para os eventos em questão.

O que recomenda a especialista

Alison Green diz que ninguém gosta de se sentir obrigado a se voluntariar, até porque nesse caso não poderia ser chamado de “voluntário”. Então ela afirma que, se é realmente um evento com essa característica, os patrões devem tratá-lo como tal. Caso contrário, que não se finja ser. Mesmo que haja um meio termo entre obrigar as pessoas a comparecerem ou não, e isso aconteceria oferecendo determinada recompensa para os que participarem, deve-se tomar alguns cuidados. Um deles é não fazer o “convite” pressionando as pessoas a irem — como o chefe relatado faz — e o outro é cumprir à risca as possíveis recompensas oferecidas.

Diante disso, a autora apresenta três opções de atitude que podem ser tomadas pelos empregados que estão se sentindo lesados:

1. Ignorar os e-mails enviados com os avisos sobre os eventos e não participar

Segundo Green, se os funcionários optarem por essa recomendação, devem se preparar para qualquer tipo de retaliação. Além disso, essas pessoas podem não ser tão levadas em conta na hora de ganhar uma promoção ou aumento. No entanto, todo o conteúdo da mensagem do chefe pode ser um blefe para fazer com que as pessoas participem e, nesse caso, não deve haver maiores consequências aos que não aparecerem nos eventos.

2. Ser direto e falar com o chefe sobre a situação

Outra opção é ser claro com o patrão sobre os motivos que o levam a não comparecer a essas ocasiões extras de forma voluntária. Porém, é preciso tomar cuidado para não dar aberturas, como perguntar para ele se “os eventos são realmente livres ou se a participação está sendo requisitada”, pois a resposta pode deixar a pessoa se sentindo ainda mais obrigada a comparecer.

3. Aguentar tudo e realmente se voluntariar de tempos em tempos

Se a pessoa analisar bem e concluir que isso faz parte de um interesse profissional, que vá em frente e participe desses eventos de vez em quando. A dica aqui é para aproveitar as situações mais importantes de maneira que, com a participação, se ganhe o máximo de visibilidade dentro da empresa.

Você enfrenta situações estressantes no relacionamento com seu chefe? Conte como faz para superá-las no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.