Jovem com deficiência visual conta como é enxergar por meio de um cão-guia
338
Compartilhamentos

Jovem com deficiência visual conta como é enxergar por meio de um cão-guia

Último Vídeo

Para a grande maioria das pessoas, a possibilidade de perder a visão gera arrepios. Entretanto, muitas pessoas passam por isso e precisam reaprender a executar tarefas básicas do dia a dia sem esse sentido que nos auxilia tanto. Para os deficientes visuais, uma alternativa é encontrar um cão-guia que se torne seus olhos e os ajude a continuar a viver a vida.

Esse é o caso de Carla Chierosa Antunes, de 23 anos. Ela nasceu com glaucoma e perdeu a visão completamente aos 18 anos. Desde então, Carla passou por um processo de adaptação à nova realidade, e um dos maiores passos nessa jornada foi o encontro com Buster, um labrador que virou o seu melhor amigo há 3 anos.

Em entrevista exclusiva ao Mega Curioso, Carla contou detalhes desse processo. Ela, que nunca tinha tido um cachorro na vida, confia plenamente no preparo de Buster para ir aonde ela quiser. O cão-guia foi treinado nos Estados Unidos, e, através de uma parceria com o Instituto IRIS, de São Paulo, Carla foi até a terra do Tio Sam conhecer seu novo parceiro.

Audiodescrição: Carla Antunes aparece na foto usando um vestido verde abraçada ao labrador preto Buster; ambos estão sorrindo e parecem felizes

Primeiro encontro

A primeira etapa é praticar os cuidados com o cão-guia em um cãozinho de pelúcia. Carla conta que foi preciso treinar, por exemplo, como escová-lo e como colocar a coleira, já que essa é uma relação de mão-dupla: assim como Buster se tornou seus olhos, ela se tornou sua cuidadora.

Quando chegou aos Estados Unidos, ela não sabia qual seria seu cachorro. É feita uma análise do perfil de cada candidato para saber qual o cãozinho ideal para a sua rotina. “Eu sonhava com um labrador macho e preto para ser meu cão-guia, mas essa não é uma coisa que a gente escolhe”, revelou Carla. Por isso, quando descobriu que Buster se encaixava perfeitamente nessa descrição, ela ficou extremamente feliz.

Aqui no Brasil, Carla já havia feito uma espécie de test-drive com um cão-guia: só que nem ela nem o cachorro se adaptaram. “Eu tropeçava e pisava na sua pata, então não deu certo. Com o Buster eu brinco que foi um casamento arranjado, já que a relação funcionou desde o começo”, explicou Carla. No vídeo abaixo, confira o primeiro encontro entre os dois:

A luta pelos direitos e pela compreensão

Isso não impede que alguns contratempos tenham acontecido. Carla ficou 1 mês nos Estados Unidos treinando com o labrador, mas Buster estranhou um pouco as ruas esburacadas do Brasil. “A primeira vez que o Buster viu um pombo aqui em nosso país também foi engraçado, porque ele foi correndo atrás do pombo e me arrastou junto”, relembra Carla, dando risada.

Mesmo assim, a relação é excelente. O maior problema, de acordo com Carla, é em relação aos direitos dos deficientes visuais. Os taxistas são os mais relutantes em aceitar a presença de um cachorro dentro do carro, mas ela não pode deixar de levá-lo a nenhum lugar.

Outro problema é em relação ao comportamento das pessoas. “Muita gente quer brincar com o Buster ou passar a mão nele, só que elas não entendem que isso o distrai”, comenta Carla. Apesar de ser seu amigão, Buster é um cão-guia que está a serviço dela. Ele só se tornará apenas o seu bichinho de estimação quando a idade chegar: com cerca de 10 anos, os cães-guia se aposentam, já que sua própria visão e audição começam a ficar comprometidas. Carla, entretanto, nem quer pensar nisso por enquanto.

Audiodescrição: Usando uma blusa listrada nas cores preto e branco, Carla aparece sentada em frente a uma árvore de Natal com o cachorro Buster no meio de suas pernas; ele está usando um lenço azul no pescoço no qual que está escrito "Campeão" em inglês

Encontro nacional de cães-guia

Depois da chegada de Buster, Carla até faz brincadeiras sobre sua deficiência. “Eu confio nele de olhos fechados”, diz ela enquanto dá risada. Tamanho bom humor fez com que ela criasse um grupo no WhatsApp com outros portadores de deficiência visual que usam cães-guia para trocarem histórias e experiências.

A ideia, que começou apenas como uma forma de estreitar laços de amizade, agora se torna algo muito mais engajado na sociedade. Neste sábado (27), será realizado o 1º Encontro Nacional de Usuários e Amigos de Cães-Guia, em Balneário Camboriú (SC).

O evento vai incentivar a população a compreender os direitos das pessoas e seus cães-guia, além de incentivar que mais deficientes possam ter acesso a esse cãopanheirão. O encontro vai acontecer a partir das 9h da manhã no campus da Univali e tem entrada gratuita. Se tiver oportunidade, compareça!

Audiodescrição: Na foto, um cão-guia preto da raça labrador está sentado; ao seu lado, aparecem as pernas de um homem vestindo calças jeans na cor azul e tênis marrom. Ele está segurando a guia de um golden retriever da cor caramelo que está deitado em posição de esfinge e com a língua de fora

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.