(Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

A droga alucinógena que marcou a época da contracultura nos Estados Unidos na década de 1960 pode ter uma vantagem muito maior do que expandir a criatividade e proporcionar uma “viagem”. Cientistas da Norwegian University of Science and Technology analisaram dados contabilizados há mais de 40 anos e descobriram que o LSD pode ser um remédio contra outros vícios.

Após acompanhar o tratamento de 536 pessoas, a pesquisa mostra que quem é adepto do LSD acaba mostrando um consumo menor de álcool – algo já discutido em 1950, mas tido como um mito pela falta de comprovações científicas.

Como o estudo apenas tenta comprovar o fato, ainda não há uma resposta sobre como a droga age no organismo de um viciado – mas os efeitos biológicos e psicológicos seriam fortes o suficiente para fazer com que o indivíduo abandone o consumo de outras substâncias.

De acordo com a Nature, o LSD é um caso especial, pois a droga mexe com receptores cerebrais diferentes dos afetados pela cocaína, por exemplo. A substância psicodélica tornaria as funções mentais caóticas, não só enfraquecendo algumas conexões do sistema nervoso, mas também modificando o comportamento do usuário de maneira positiva, melhorando pontos como o humor e o comportamento. Se comprovada a eficácia médica do ácido lisérgico, pequenas doses podem ser usadas em tratamentos futuros.