Confira 15 dos processos judiciais mais bizarros já vistos
493
Compartilhamentos

Confira 15 dos processos judiciais mais bizarros já vistos

Último Vídeo

Um sistema judicial organizado pode ser considerado um trunfo. Sem dúvidas é um grande ganho para toda a população quando o judiciário funciona de maneira rápida e efetiva. Mas, como nem tudo são flores, sempre há casos em que certas ressalvas se fazem necessárias.

Seja o motivo pelo qual o processo judicial é movido, seja o decorrer do caso ou a sentença inusitada, existem diversos registros de situações curiosas envolvendo julgamentos. Aqui no Mega, nós já falamos de sentenças bizarras em duas ocasiões e você pode acessar as listas clicando aqui ou aqui.

E quando o processo movido é uma besteira já começando pela motivação? As pessoas são capazes de procurar a justiça por razões tão absurdas que muitas vezes é até difícil de acreditar. Então, apresentamos agora uma lista com 15 dos processos judiciais mais bizarros que já foram protocolados em tribunais, feita com base em uma publicação do site List 25. É importante mencionar que a maioria dos casos mostrados foi arquivada. Confira:

15. O processo contra o Sea World

Uma das ilustres orcas do Sea World, famoso parque temático americano, matou um rapaz chamado Daniel Dukes em 1999. Porém, isso só aconteceu porque Dukes tinha o sonho de nadar com uma baleia e burlou a segurança para ficar no parque após o fechamento. Com o fato lamentável, a família de Daniel acionou o parque na justiça, alegando que a comunicação do local era falha, já que não havia avisos de que as baleias podiam realmente matar uma pessoa.

14. Mágicos no tribunal

Um homem chamado Christopher Roller resolveu processar os mágicos ilusionistas David Blaine e David Copperfield. Roller acreditava que era Deus e pensava que os dois estavam usando os poderes divinos, que eram seus, sem autorização. Então o homem alegou que eles estavam desafiando a lei da Física e solicitou que os dois revelassem seus truques para ele.

David Copperfield

13. Defensores dos animais contra a Divisão de Pesca e Vida Selvagem de Nova Jersey

Um grupo de defensores dos direitos animais estava realizando um protesto contra a caça de cervos, defendendo a vida desses animais. Depois da manifestação, dois membros do grupo atropelaram um cervo e resolveram processar a Divisão de Pesca e Vida Selvagem de Nova Jersey pelos danos causados. A alegação era que os esforços do órgão com um programa para aumentar a população de cervos foi o que causou toda a situação.

12. Mulher israelense processa emissora de TV por previsão do tempo errada

Quantas vezes você ouviu na televisão que iria chover e isso não aconteceu, ou, ao contrário, acabou chovendo quando a previsão era tempo aberto? Não é por isso que você entraria com um processo contra a emissora, certo? Mas uma mulher israelense não tem essa mesma sensibilidade. Ela acionou a rede de televisão na justiça alegando que, ao ver o boletim, não se preveniu e saiu com roupas leves, o que a fez pegar uma gripe quando se molhou com a chuva que não foi prevista pelo pessoal do tempo na TV.

11. Cafés não seguros no McDonald’s

Ao comprar um café no drive-thru de uma loja do McDonald’s, uma mulher da cidade de Albuquerque, nos EUA, estava aguardando para colocar creme e açúcar na bebida. Assim, ela colocou o copo entre os joelhos e acabou pressionando de forma que o líquido transbordou e molhou todo o seu colo. A mulher então processou a lanchonete com o argumento de que o café servido era muito quente para ser considerado seguro.

10. Distúrbios causados por comercial de cerveja com mulheres bonitas

Um comercial da antiga companhia de cerveja Anheuser-Busch (que hoje está associada à AmBev) mostrava belas mulheres que vinham à vida na forma de homens dirigindo caminhões da cerveja Bud Light. Por isso, Richard Overton resolveu processar a marca com a premissa de que a propaganda era enganadora e teria lhe causado danos emocionais e mentais.

9. Família que processou os produtores do filme “Assassinos por Natureza”

Após assistir ao filme “Assassinos por Natureza”, o casal Sarah Edmondson e Benjamin Darrus promoveu uma onda de crimes em 1995. Em um desses delitos a vítima foi Patsy Ann Byers, que acabou ficando paraplégica em função do ataque. O fato levou a família de Patsy a processar os responsáveis pela produção do filme, incluindo o diretor Oliver Stone e a companhia Warner Bros.

8. Culpa dos video games

Familiares de algumas vítimas do massacre na escola Columbine, ocorrido em 1999, processaram 25 produtores de jogos de video game em 2001. O argumento era que, se não fosse pela criação dessas pessoas, a chacina nunca teria acontecido. No final, os movedores da ação foram obrigados a arcar com todos os gastos legais que os fabricantes de jogos tiveram durante o processo.

 7. Mulher que processou casa noturna por perder os dentes

Para não ter que pagar a entrada de US$ 3,5 (R$ 13,3), Kara Walton decidiu entrar em uma casa noturna pela janela do banheiro. Ao realizar a façanha, ela acabou caindo de cara no chão e perdeu os dois dentes da frente. O mais bizarro é que a mulher processou o estabelecimento e recebeu uma indenização de US$ 12 mil (quase R$ 46 mil), tendo todos os seus custos odontológicos pagos.

6. Que tal processar Deus?

Depois de 20 anos de reclusão por assassinato, o prisioneiro romano Pavel M. resolveu processar Deus por falhar em não deixar o diabo conduzir seus atos.

5. O ladrão que processou os donos da casa

O ladrão Terrence Dickson invadiu a casa de uma família que estava em viagem de férias. O portão da garagem estava com defeito, então ele resolveu usar a porta da frente e por um motivo desconhecido acabou ficando trancado na própria garagem por quase oito dias, até que a família retornasse de viagem. Ele processou os donos da casa pedindo a “pequena” quantia de US$ 500 mil (quase R$ 2 milhões), porque teria sofrido danos mentais e uma séria depressão em função do ocorrido.

4. O preso que processou a administração da prisão

Ocupando uma cela individual, um detento resolveu processar a administração do presídio. O motivo foi a falha cometida pelos funcionários que deixaram de lhe entregar o desodorante gratuito ao qual tinha direito. Logicamente, o processo não deu em nada.

3. A rádio que prometeu um carro... de brinquedo!

A americana Cathy McGowan respondeu corretamente a uma pergunta efetuada pela estação de rádio Buxton durante a programação. O prêmio anunciado era um carro do modelo Renault Clio e a mulher foi até a sede da emissora para buscá-lo. No entanto, ao chegar lá, Cathy recebeu apenas um carrinho de brinquedo e ficou tão contrariada que resolveu processar a rádio. Como resultado, a mulher recebeu US$ 28 mil (cerca de R$ 106 mil) de indenização.

2. A mulher que processou a universidade

Crise? Falta de competência? Mercado complicado? Não, a explicação que uma mulher encontrou para o seu desemprego foi a culpa da instituição de ensino. Por isso ela entrou com um processo contra a faculdade, tentando recuperar os mais de US$ 70 mil (mais de R$ 260 mil) que investiu durante o curso. Ela ficou meses sem encontrar um emprego decente após ter se formado pela Faculdade Monroe, como Bacharel em Tecnologia da Informação.

 1. Os garotos que se queimaram ao invadir uma propriedade

Jeffrey Kline e Brett Birdwell acabaram se queimando após tocar um fio desencapado quando estavam invadindo uma propriedade privada de estrada de ferro. Acredite ou não, os dois moveram uma ação contra a empresa dona do imóvel e receberam uma quantia conjunta de mais de US$ 24 milhões (cerca de R$ 90 milhões) como indenização. A alegação foi de que faltavam avisos ao público sobre a existência dos cabos e o risco de choque no local.

E aí, leitor, qual desses processos você achou o mais bizarro? Comente no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.