Seja o primeiro a compartilhar

7 dicas para estudar em casa com tranquilidade

A pandemia do novo coronavírus acabou alterando a vida das mais de 7 bilhões de pessoas no mundo. As relações de trabalho, vida social, compras e vários outros aspectos foram transformados a partir de março de 2020.

Um público que muita gente não leva em consideração nesse cenário, porém, são as crianças e adolescentes. De acordo com a UNICEF, no final do ano passado a estimativa é que cerca de 320 milhões de alunos estavam fora da escola por causa da crise de saúde pública mundial.

Nesse cenário de escolas fechadas, as famílias precisaram adaptar suas rotinas para permitir que os menores de idade estudassem em formato EAD (Educação à Distância). As aulas por videoconferência e outros aplicativos também exigiram novas habilidades tanto dos estudantes quanto dos professores.

Por causa disso, nós separamos 7 dicas para estudar em casa com tranquilidade. As orientações foram divulgadas por entidades como a ONU, UNICEF e Ministério da Educação (MEC) e servem também para adultos. 

1. Ambiente acolhedor

Aulas online

Os ambientes caseiros precisam ter pelo menos um espaço de estudo que seja tranquilo, silencioso e que não ofereça distrações. Se não houver espaço suficiente, é interessante pensar em revezamentos entre as crianças, adolescentes e pessoas que convivem na mesma casa.

Além de cômodos calmos, é necessário pensar em peças que permitam que os estudantes tenham uma boa postura durante as aulas. As cadeiras e mesas precisam ser confortáveis para permitir que não haja problemas de postura e dores no período de aprendizado.

2. Planejamento da rotina

Aulas online

Programar todo o dia e o material de estudos é importante para criar uma rotina, o que facilita o aprendizado. Além disso, a programação diária também deve reservar um espaço para atividades físicas, refeições e tempo de descanso. Para fazer essa programação os planners, agendas e post-its são excelentes alternativas.

3. Interação

Aulas online

Manter uma boa interação com professores e colegas de turma é essencial. É importante lembrar que apesar da distância, as relações sociais precisam ser mantidas para fortalecer e manter nossos laços. Por isso, sempre que possível, ligue a câmera durante as videoaulas, interaja e se mostre interessado pelo conteúdo e pela discussão da aula.

4. Apoio

Aulas online

Os pais, responsáveis e amigos que moram junto do estudante devem apoiar e incentivar o aprendizado deles da melhor maneira possível. É importante que as pessoas estejam sempre dispostas a ajudar quando necessário e contribuam para que o ambiente doméstico seja acolhedor e tranquilo para o momento dos estudos.

Outro ponto citado pela UNICEF é sobre a relevância de avaliar qualquer mudança de postura comportamental do aluno, que pode significar ser necessário um acompanhamento psicossocial.

5. Bons hábitos

Aulas online

Mantenha hábitos saudáveis dentro de casa. Um bom aprendizado também está ligado a fatores como boas noites de sono, alimentação equilibrada, exercícios físicos e ingestão de água. O cuidado com a saúde mental também entra nesse pacote. Por isso, aproveite o tempo livre para falar com os amigos e praticar hobbies.

6. Ferramentas de ensino

Aulas online

Quem possui ferramentas como uma boa internet, computador e smartphones deve estar atento para utilizá-las da melhor forma. Elas entregam uma gama gigantesca de conhecimento que devem ser utilizados a favor da obtenção de mais conhecimento. É preponderante, contudo, que os pais realizem um filtro do que é acessado, evitando que os menores de idade estejam expostos a conteúdos sensíveis e inadequados.

7. Segurança digital

Aulas online

O formato digital também desafios em relação à segurança digital. Por isso, é preciso ficar atento a todo material acessado, para garantir que tudo foi realmente enviado pela instituição de ensino. Instalar nos celulares, computadores e tablets programas de antivírus ajuda a realizar o controle da segurança e privacidade.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.