Seja o primeiro a compartilhar

Caterina Sforza: a incrível história da destemida condessa italiana

Sabemos que os relatos históricos reservam muito mais espaço para homens do que para mulheres. No entanto, alguns deles chegaram até nós justamente por serem muito impressionantes. Um destes casos é o da vida da audaciosa Caterina Sforza, que viveu na Itália no século XV e lutou corajosamente contra seus inimigos.

Caterina é filha ilegítima do Duque Galeácio Maria Sforza com uma amante. Aos 14 anos casou com Girolamo Riario, sobrinho do Papa Sisto IV, se tornando Condessa de Forli em 1477.

Quando o papa Sisto IV morreu, em 1484, Caterina adentrou no Castelo de Santo Ângelo no intuito de intimidar os cardeais para que escolhessem um novo papa entre os membros de sua família.

A tramoia não deu certo e Caterina mudou-se com o marido para Forli. Lá, sofreram um ataque em sua casa no qual Girolamo foi assassinado e os filhos do casal foram capturados. Reza a lenda que Caterina teria escapado e, na fuga, levantou a saia e exibiu a genitália aos inimigos, dizendo que ela sempre poderia ter mais filhos.

Mas este é apenas o começo de sua história. Conheça a vida de uma das mulheres mais destemidas da época do Renascimento.

A origem nobre de Caterina Sforza

(Fonte: Hulton Fine Art Collection/Getty Images)(Fonte: Hulton Fine Art Collection/Getty Images)

Caterina Sforza vinha de uma família bastante conhecida no tempo do Renascimento italiano. Seu pai, Galeazzo Maria, teve um filho com a mulher de seu melhor amigo, e a menina acabou crescendo em sua casa. Lá, teve uma educação renascentista muito completa: além de ler obras humanistas importantes, também aprendeu a lutar.

Seu casamento com Girolamo Riario, quase vinte anos mais velho que ela, foi por interesse da sua família em garantir a fortuna do noivo. Girolamo, por conta de sua origem importante, ganhou o controle da cidade de Imola e se tornou muito rico. Ao seu lado, Caterina ia adquirindo mais poder.

Caterina teve nove filhos em vinte anos — sete de Riario e dois de seus amantes, depois que o marido havia morrido. Mesmo com tantos filhos, ela frequentemente escapava do castelo para caçar e desempenhar atividades que requeriam muita energia.

Girolamo Riario, no entanto, tinha desejo de poder. Ele montou uma conspiração para derrubar a poderosa família Medici, de Florença, mas fracassou. Os inimigos, portanto, começaram a tramar contra a família Sforza e, por isso, Caterina começou a treinar soldados para uma possível guerra.

Quando o papa Sisto IV morreu, em 1484, Caterina Sforza invadiu o Castelo de Santo Ângelo, em cima de um cavalo e empunhando uma espada, no intuito de nomear o próximo papa. Detalhe: ela estava grávida de sete meses.

A luta solitária de Caterina Sforza

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Quando seu marido adoeceu, Caterina foi encarregada de governar sozinha as cidades de Imola e Forli. Ela foi linha dura, impondo duras penalidades aos conspiradores — ou seja, a pena de morte

No entanto, em 1488, assassinos conseguiram invadir o castelo da família e mataram Girolamo. Caterina Sforza tentou proteger a família, mas logo uma multidão invadiu o palácio e a fez prisioneira junto a seus filhos. Os conspiradores tentaram usar as crianças para fazer chantagem, mas ela não cedia — e aí aconteceu o famoso episódio da saia.

A "exibição" funcionou: os filhos de Caterina foram soltos e ela foi liberada para seguir governando Imola e Forli. Aos 25 anos, ela era uma mulher sozinha liderando duas cidades. Neste período, seguiu sendo uma governante dura que perseguiu e matou os assassinos de seu marido. Enquanto isso, era amante de vários homens importantes.

Quando os Bórgia assumiram o poder em 1492, novamente a família Sforza foi ameaçada. Para poder se proteger, Caterina se uniu a Giovanni de Medici, membro da família que era sua inimiga e de seu marido. Eles tiveram um relacionamento e a condessa teve o segundo filho fora do casamento.

Mesmo depois da morte de Giovanni, Caterina acreditava que poderia contar com a proteção dos Medici. Contudo, os Bórgia chegaram a Florença e a família foi exilada. Mais uma vez, a condessa vestiu sua armadura e liderou um exército de 900 soldados para proteger suas terras. Mas, desta vez, não deu certo.

Caterina Sforza morreu em 1507, aos 46 anos. Por mais que seus motivos nem sempre fossem nobres, ela é hoje reconhecida como uma mulher batalhadora e corajosa, que era odiada por muitos por se portar da mesma forma que os homens de sua época.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.