Três giros completos no ar antes de aterrissar com o skate na pista, ou seja, 1080º. Esta era a façanha mais inalcançável do skate, até que Tom Schaar, um norte-americano de 12 anos de idade, conseguiu realizar a manobra no começo deste ano. Mas será que o fato de Schaar ser apenas um garoto teve alguma influência em sua realização?

O pessoal do site Wired fez essa mesma pergunta, e pediu que o físico Rhett Allain desse uma conferida na evolução de Schaar.

Os quase impossíveis 1080º

Allain realizou vários cálculos e estimativas, levando em consideração as proporções corporais de um adulto e uma criança durante a evolução da manobra. Considerando que uma criança é mais leve, podemos imaginar que alguém com um corpo menor leva vantagem sobre um adulto. Entretanto, um adulto teria mais força física para alcançar a velocidade necessária para realizar os três giros no ar.

Contudo, apesar de um adulto ter mais força que uma criança para executar os giros, de acordo com as estimativas do físico, para realizar os 1080º o adulto teria que empregar uma força cinco vezes maior que a criança, o que não seria viável. Afinal, a força, neste caso, é influenciada pela fricção das rodas do skate sobre a pista.

De um modo geral, a fricção é proporcional ao peso de cada um — criança e adulto —, e a criança ainda leva vantagem ao encontrar menos resistência das rodas com a pista. Mas Allain também considerou muitas outras variáveis: talvez o adulto consiga ficar mais tempo no ar e salte mais alto ou talvez a criança possa usar um skate maior, ganhando ainda mais vantagem sobre o adulto etc.

Afinal, o menino leva vantagem ou não?

Allain não é do tipo que dá respostas assim, de mão beijada — você pode conferir os cálculos e estimativas do físico em inglês acessando este link. Mas a conclusão, de um modo geral, é a de que Schaar, ao ser mais leve e menor, leva vantagem sobre um skatista adulto.

Entretanto, como o próprio físico disse, “eu classificaria essa questão como uma daquelas situações nas quais o maior não quer dizer o mesmo; as coisas nem sempre se escalam da maneira como imaginamos que deveriam”. Portanto, quer mandar um 1440º e ultrapassar a marca atingida pelo garoto? Pode começar como o pequeno Schaar: muito treino e foco.