'Deusa Corona', a padroeira que pode parar a pandemia na Índia

'Deusa Corona', a padroeira que pode parar a pandemia na Índia

Último Vídeo

Com a Índia se aproximando da marca de 1,2 milhão de casos confirmados do novo coronavírus, a sua população tem tomado medidas inusitadas para tentar controlar a pandemia. Sendo assim, algumas pessoas acabaram recorrendo ao espiritualismo e aos poderes divinos para requisitar proteção contra a covid-19.

Em junho, a imprensa indiana noticiou que um grupo de mulheres da região da Bengala Ocidental optaram por venerar a Corona Mai, também conhecida como deusa Corona. Às margens da lagoa Chinnamasta, as moças estabeleceram um santuário, onde ocorrem diversos rituais na esperança de que a deusa retire o coronavírus do país.

Os rituais para a deusa Corona

(Fonte: The Hindu)(Fonte: The Hindu)

A idade das adoradoras da Corona Mai atinge públicos muito distintos — as mulheres mais novas estão na faixa dos 20 anos de idade, enquanto as mais velhas ultrapassam a casa dos 70 anos. Independente da faixa etária, o objetivo é um só: se unir para combater a doença.

Em entrevista para o portal The Hindu, uma das participantes da seita disse acreditar que essa ação as ajudará a se livrar do vírus de uma vez por todas. "Nossa oferendas e cantos farão com que a gente ganhe um pouco de descanso do coronavírus", afirmou a mulher de 23 anos.

O grupo garantiu que os rituais continuarão ocorrendo de segunda a sexta até que a deusa Corona se sinta satisfeita e expulse o vírus do planeta. 

A espiritualidade indiana contra o coronavírus

Engana-se quem acredita que as moças da Bengala Ocidental são as únicas a acreditarem na região de uma divindade relacionada ao coronavírus. Segundo Anilan Muhoortham, um homem da cidade de Kadakkal, as tradições Hindus acreditam que todas as moléculas ao nosso redor carregam uma divindade própria — e por isso as pessoas tem venerado o coronavírus como um deus.

Muhoortham foi responsável pela criação do primeiro templo para a deusa Corona em sua cidade. De acordo com o homem, o santuário também é dedicado àqueles que trabalham na linha de frente no combate à Covid-19. 

Em seu depoimento para a imprensa local, o homem deixou um recado: ele continuará a respeitar as medidas de isolamento social. Portanto, quem pretende realizar uma oferenda para a divindade deve encaminhá-la por correio ou acioná-lo para receber pessoalmente.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.