Seja o primeiro a compartilhar

Esquema de Ponzi: a fraude precursora das 'pirâmides financeiras'

Em meados de 1906, a União Postal Universal Internacional criou os denominados Cupons de Resposta Internacional (IRC), cujo objetivo era permitir que alguém em qualquer país enviasse uma correspondência e pudesse usá-los para custear o frete de resposta.

Os IRC eram cobrados com base no custo da postagem no país de compra, mas podiam ser trocados por selos para cobrir o custo da postagem no país onde foram resgatados. E se esses valores diferissem, havia um lucro em potencial.

O fim da Primeira Guerra Mundial diminuiu o custo em dólares de uma postagem na Europa, de modo que era possível comprar cupons mais baratos nos países europeus e trocá-los por selos mais caros nos Estados Unidos – ou então vendê-los.

Naquele verão de 1919, o italiano Charles Ponzi, de seu escritório em Boston, encontrou uma fraqueza no sistema ao receber um IRC pela primeira vez, descobrindo que poderia fazer dinheiro disso.

O esquema milionário

(Fonte: Mondi/Reprodução)(Fonte: Mondi/Reprodução)

Ponzi percebeu que, se conseguisse descobrir uma maneira de negociar os cupons em grande quantidade, poderia enriquecer comprando e os revendendo. Para seus investidores, ele afirmou que o lucro líquido dessas transações, após despesas e taxas de câmbio, seria superior a 400%.

Ponzi convenceu alguns de seus amigos em Boston a investirem no que ele mesmo chamava de "Esquema de Ponzi", prometendo-lhes lucro de 50% em até 45 dias. E assim aconteceu, com os investidores recebendo até US$ 750 de juros sobre aplicações iniciais de US$ 1.250.

Conforme sua popularidade e número de investidores crescia, os inspetores postais investigaram as vendas de cupons em todo o mundo, descobrindo que elas não eram altas o suficiente. Eles tinham certeza de que o que Ponzi fazia era ilegal, mas não podiam prendê-lo por fraude porque aina ninguém se queixava de ter sido enganado.

A queda da pirâmide

(Fonte: ComputerImages/Reproduçâo)(Fonte: ComputerImages/Reproduçâo)

Tudo mudou em 26 de julho de 1920, quando uma matéria no jornal questionou a validade de suas operações, e Ponzi convocou uma reunião com as autoridades federais, estaduais e locais para examinarem seus livros. Para mostrar como cooperava com a operação, ele sugeriu interromper os investimentos durante toda a auditoria – e esse foi seu maior erro.

No dia seguinte, o homem foi bombardeado por investidores furiosos exigindo seu dinheiro de volta, temendo que Ponzi tivesse enganado a todos do dia para noite. Ele foi incapaz de pagar o que perdeu para não ir preso durante a auditoria, com muitos retirando seu dinheiro do esquema de pirâmide.

Ponzi foi acusado de usar os correios em um esquema de fraude, e em novembro daquele ano se declarou culpado e foi condenado a 5 anos de prisão.

Em 7 de outubro de 1935, Charles Ponzi foi deportado para a Itália após anos de idas e vindas da prisão. Apesar de ele ter falecido em 18 de janeiro de 1949 na completa miséria, os moldes de seu esquema permanecem até hoje.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER