Conheça a história da Primeira Guerra Mundial

Último Vídeo

Em 28 de junho de 1914, o assassinato do arquiduque do Império Austro-Húngaro, Francisco Fernando, pelas mãos do estudante sérvio Gavrilo Princip daria início a uma série de eventos políticos e econômicos que, posteriormente, acabariam culminando no início da Primeira Guerra Mundial.

Porém, o que viria a ser o primeiro conflito armado do século XX carregava motivações entre os países envolvidos que se arrastavam desde o século XIX, tornando esse um dos acontecimentos mais complexos da humanidade. Com duração entre 1914 e 1918, o evento foi responsável por criar uma geração de jovens traumatizados e deixar mais de 10 milhões de mortos nas trincheiras.

Causas da Primeira Guerra Mundial

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Antes de poder compreender todos os desdobramentos da Primeira Guerra Mundial, é necessário entender como tudo começou. Em suma, a grande guerra foi resultado de uma equação envolvendo disputas imperialistas, nacionalismo, alianças militares e corrida armamentista pela Europa.

No centro da questão, a Alemanha aparecia como um país em ascensão e que causava temor em outras nações, como a Rússia, França e Grã-Bretanha. Passando por um processo de unificação recente, os germânicos passaram a ficar mais fortes e se lançar em busca de novas colônias — fator que começou a chamar a atenção por prejudicar os interesses comerciais de seus rivais. 

Já dentro do âmbito nacionalista, os franceses ainda guardavam rancor por terem sido derrotados na Guerra Franco-Prussiana em 1871 e começaram a alimentar um sentimento de revanche. Na visão da França, o país havia sido humilhado ao ter perdido o território de Alsácia-Lorena para o que se tornaria o Império Alemão.

Guerra dos Balcãs

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Se muita coisa ainda parecia mal resolvida em território europeu, o envolvimento dos Balcãs era uma das questões nacionalistas que mais marcaram a Primeira Guerra Mundial. A península balcânica, como é conhecido o espaço geográfico, foi dominado pelo Império Austro-Húngaro no começo do século XX, mas estava em ruínas pela série de movimentos separatistas que tomavam conta da região.

Em especial, existia uma grande tensão entre Sérvia e Áustria-Hungria para decidir quem ficaria com a Bósnia. O movimento nacionalista sérvio, que era apoiado pela Rússia, desejava anexar esse território para formar a Grande Sérvia. Mais tarde, essa rivalidade culminaria no assassinato de Francisco Fernando em 1914.

Países envolvidos na Primeira Guerra Mundial

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Sem saída diplomática para os acontecimentos recentes, no dia 29 de julho de 1914, a Áustria declarou guerra à Sérvia, fazendo com que alemães e russos se movimentassem para defender seus aliados e despertassem um enorme efeito em cadeia por toda a Europa. Então, os dois grupos estavam definidos:

  • Tríplice Aliança: formada por Alemanha, Áustria-Hungria, Império Otomano e Itália
  • Tríplice Entente: formada por França, Grã-Bretanha, Rússia e Sérvia

Entretanto, essas não foram as únicas nações que participaram da Primeira Guerra Mundial durante seus 4 anos de duração. Em outras fases, países como Estados Unidos, Canadá, Japão e até mesmo o Brasil resolveram apoiar a Tríplice Entente, enquanto a Tríplice Aliança angariou as forças da Bulgária e de outros povos, como o Sultanato de Darfur.

Destruição do território europeu

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Em sua maioria, a Primeira Guerra Mundial aconteceu dentro do continente europeu, onde os países participantes iniciaram grandes conflitos por terra. O destaque fica para as batalhas travadas na Frente Ocidental, onde alemães lutavam com franceses e britânicos, e na Frente Oriental, em que alemães encaravam sérvios e russos.

Ao longo de toda a Europa, os exércitos criaram trincheiras para abrigar seus soldados e iniciar suas tentativas de avanços territoriais. Foi através dessas estratégias que os alemães quase conseguiram dominar Paris nos primeiros meses de conflito armado pelo chamado Plano Schlieffen, mas foram impedidas pelas tropas francesas.

A Primeira Guerra Mundial também ficou conhecida pela primeira vez em que foram utilizadas armas químicas, como o gás clorídrico e o gás mostarda. Como diversas trincheiras inimigas eram muito próximas, o conflito se tornou extremamente desgastante — o que rendeu histórias curiosas como a Trégua de Natal.

Consequências da Primeira Guerra Mundial

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Após a Tríplice Aliança ser completamente obliterada pelos anos de guerra, com Bulgária, Áustria-Hungria e Império Otomano se rendendo no meio do caminho, a Alemanha se viu obrigada a desistir após uma revolução política estourar no país e provocar o fim do Império Alemão.

Com a derrota alemã, os vencedores se reuniram em junho de 1919 para assinar o Tratado de Versalhes, o qual previa punições duríssimas à Alemanha. Os germânicos foram obrigados a restringir suas forças militares para um máximo de 100 mil soldados, além de perder todas suas colônias ultramarinas e alguns territórios na Europa — reconfigurando todo o mapa do continente.

Entretanto, os 10 milhões de mortos deixados durante o conflito seriam apenas um presságio de um novo conflito. Anos mais tarde, a estratégia de franceses e britânicos para enfraquecer a Alemanha acabou fracassando e criou-se uma brecha para que Adolf Hitler e o Partido Nazista iniciassem a Segunda Guerra Mundial.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.