Menu de restaurante: qual é a origem do cardápio?

Ao chegar a um restaurante, pedir o cardápio (ou menu) é algo automático, afinal, hoje a presença dele é obrigatória mesmo nos estabelecimentos mais simples. Porém, nem sempre foi assim.

Inicialmente, os restaurantes anunciavam a variedade de pratos por meio de uma placa que era colocada próximo da porta de entrada ou na fachada dos estabelecimentos, a qual era denominada carte. Aliás, foi esse termo que deu origem à expressão "à la carte", que se refere a um pedido que não é sob rodízio, sequência ou buffet. Isso ainda existe, você pode ver cavaletes por aí com o cardápio do dia, chamando possíveis clientes famintos.

Como a possibilidade de escolha dos estabelecimentos é cada vez maior, para maior praticidade, os restaurantes criaram uma versão pequena da carte e que é oferecida diretamente aos clientes. Por seu tamanho reduzido, foi denominada menu, que é uma variação do termo minutu, do latim diminuto.

A História do menu

(Fonte:Youtube/reprodução)  (Fonte:Youtube/reprodução) 

Os franceses reivindicam a criação dos menus. Além da pronúncia da palavra dar uma dica sobre sua origem, há registros deles de 1751, quando o rei Luís XV da França promoveu um banquete para a aristocracia que apoiava seu reinado.

Na ocasião, as opções de pratos eram diversas (48 ao todo) e assim teria sido necessário relacionar tudo o que estava disponível. Seria impossível que os convidados lembrassem de um terço dos itens se não recebessem a informação por escrito.

Comer bem é realmente um prazer, mas a gastronomia tinha ainda outro objetivo: o de apresentar uma civilização diferenciada das demais cortes europeias, em que o rei era servido de maneira nunca vista. Vem daí a ideia de um jantar chique, com vários tipos de taça e de talher em uma mesa rodeada por dezenas de garçons.

Mas eles não são os únicos a reivindicar a origem do cardápio. Os alemães, embora não tenham registros do fato, alegam que os cozinheiros do duque Heinrich Brunswick-Wolfenbüttel relacionaram em pergaminho as comidas servidas durante uma reunião promovida pelo duque que visava unir forças para combater Martinho Lutero, idealizador da Reforma Protestante.

(Fonte:cardapiolumi/reprodução)  (Fonte: Cardapiolumi/reprodução) 

Pode parecer estranho que uma ferramenta tão útil tenha sua origem em uma reunião de disputa de poder religioso, não é mesmo? 

Cardápio moderno

Com o tempo, o menu extrapolou os limites da gastronomia, sendo quase uma carta de apresentação do restaurante. Portanto, é comum que traga informações sobre a história do estabelecimento, sua missão e seus valores. Ele faz parte da experiência proposta pela casa. 

(Fonte:cottonbro/Pexels)  (Fonte: Cottonbro/Pexels) 

As fontes, cores e imagens se remetem à história que os proprietários querem transmitir, por isso são cuidadosamente elaborados para servir como canal de comunicação entre proprietários e clientes. Diante dessa importância, são alvos de atenção das áreas de Publicidade e Marketing. 

Bem, seja francês, seja alemão, o fato é que o cardápio merece sua atenção. Tem uma história e tanto!

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.