Seja o primeiro a compartilhar

Shizo Kanakuri: o atleta que 'desapareceu' no meio de uma corrida

Em julho de 1912, mais de 18 mil espectadores se reuniram no Estádio Olímpico de Estocolmo, na Suécia, para assistir a uma maratona. Porém, o que era para ser um dia de festejos rapidamente tornou-se um evento estranho e, dos 68 corredores esperados para a exibição, apenas 36 apareceram, com o restante desistindo horas antes da largada e um deles, o japonês Shizo Kanakuri, simplesmente desapareceu.

Shizo foi um dos únicos atletas representantes do Japão convocados para a quinta Olimpíada, em Estocolmo, e marcou a primeira participação nipônica na competição. Na época, com apenas 20 anos de idade, o atleta movimentou torcidas inteiras pelo seu país e era visto como um nome promissor, mas os fãs não estavam nem um pouco preparados para o que seu ídolo iria enfrentar.

Durante a viagem para a Suécia, o corredor enfrentou temperaturas extraordinariamente quentes e uma péssima dieta alimentar, algo que impactou diretamente seu desempenho e sua estabilidade mental. A falta de condições e o desgaste físico o levaram a perder as esperanças em suas habilidades e, a meio caminho da corrida, já no dia em que se mostraria para o mundo, Kanakuri tomou a decisão de abandonar a prova.

(Fonte: The Run - Twitter / Reprodução)(Fonte: The Run - Twitter / Reprodução)

Exausto e morrendo de calor, Shizo foi reconhecido por uma família sueca durante o caminho para o Estádio Olímpico de Estocolmo e foi ajudado, ganhando pães, suco e um lugar para descansar. Após relaxar e se recuperar parcialmente, o atleta retornou calmamente à sua hospedagem olímpica e viajou de volta ao Japão, mas acabou esquecendo de alertar os funcionários do evento e foi dado como desaparecido, com milhares de fãs esperando-o ansiosamente na arena.

A redenção do maratonista

Ao voltar para o Japão, Kanakuri voltou a competir e a estabelecer recordes, tornando-se referência no atletismo e chegando a ensinar jovens corredores. Sua história serviu de inspiração não apenas para quem estava entrando no mundo esportivo, mas também para a própria imprensa sueca, que estampou seu rosto em tabloides e o transformou em herói em meados de 1953, ano em que foi técnico de Keizo Yamada, campeão da Maratona de Boston.

(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)

Transformado em lenda pelo país do leste europeu e conhecido como o "japonês que desapareceu", Shizo foi convidado, em 1967, para retornar ao Estádio Olímpico de Estocolmo e finalmente cruzar a linha de chegada, em um evento que seria transmitido para todo o planeta. Assim, o feito lhe renderia mais tarde uma página do Guinness World Record com o título de "maior tempo para completar uma maratona", encerrando o percurso em 54 anos, 249 dias, 5 horas, 32 minutos e 20,3 segundos.

(Fonte: Pinterest / Reprodução)(Fonte: Pinterest / Reprodução)

Kanakuri viveu até 1983, quando morreu aos 92 anos. Seus feitos épicos lhe renderam um museu na cidade de Nagomi e uma homenagem na maratona de revezamento entre Tóquio e Hakone. "Tem sido uma corrida longa, mas então eu tenho uma esposa, seis filhos e 10 netos durante ela, e isso leva tempo, você sabe", concluiu o atleta, logo após encerrar sua corrida histórica.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER