'A Voz do Brasil': a rádio de 87 anos que ninguém ouve

Na noite de 22 de julho de 1935, no auge da Era Vargas, o locutor alagoano Luiz Jatobá deu o seu primeiro "muito boa noite" em rede nacional, começando ali o Hora do Brasil, o mais antigo programa de rádio da nossa História. Foi o próprio Getúlio Vargas o responsável por criar o programa, renomeado para A Voz do Brasil quando sua transmissão se tornou obrigatória, em 1938.

A princípio, a proposta de A Voz do Brasil era comunicar informações sobre o poder Executivo (o Legislativo só seria incluso a partir de 1962), bem como incentivar o patriotismo, a devoção cívica, o gosto pela "boa música" e disseminar as notícias diárias.

A rádio que nunca morre

(Fonte: Agência Brasil/Reprodução)(Fonte: Agência Brasil/Reprodução)

A grade do programa apresentava peças de radioteatro sobre momentos relevantes da história brasileira, como a abolição da escravatura e a Proclamação da República, reproduzindo o que as rádios faziam no mundo inteiro na década de 1930: propaganda ideológica.

Apesar de tudo isso, A Voz do Brasil era considerada um fracasso em audiência, tanto que 10 anos depois da sua estreia, durante a Era de Ouro da rádio nacional, o programa era chamado de "o fala sozinho". Indo na contramão do que acontecia, o governo tentava a todo o custo mostrar a falsa alta audiência do programa, realizando enquetes de opinião com resultados alterados.

A verdade era que apenas Getúlio Vargas e Jânio Quadros ouviam o programa. Quadros, inclusive, chegou a transferir a produção do programa do Rio de Janeiro para Brasília, em meados de 1961, apenas para poder mexer na grade editorial.

(Fonte: Ensinar História/Reprodução)(Fonte: Ensinar História/Reprodução)

Com os baixíssimos índices de audiência durante a década de 1990, com cerca de 5% no total, diversas estações de rádio ganharam na justiça o direito provisório de reproduzir o programa em horários alternativos.

“As rádios das grandes cidades não têm interesse em levar informações para locais distantes”, disse Eduardo Tramarim, da Rádio Câmara, um dos defensores do programa que ressalta que ele ainda cumpre um importante papel social nas rádios.

Em 2003, o programa sofreu alterações para se adequar à nascente geração da internet, ganhando um tom mais pop na abertura, mas não demorou muito para voltar a tocar a ária clássica de ópera. A última alteração que A Voz do Brasil recebeu foi em 2016 pelo então presidente Michel Temer, que editou uma Medida Provisória autorizando que as rádios flexibilizassem o horário do programa entre 19h e 22h durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.

Ainda que ouvido por poucos, há 87 anos o programa recebe seus ouvintes com o famoso: “Em Brasília, 19 horas”.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.