Seja o primeiro a compartilhar

Como a mídia criou o mito do Triângulo das Bermudas?

Poucas regiões da Terra aguçam tanto o imaginário das pessoas quanto o Triângulo das Bermudas, situado na parte ocidental caribenha do Oceano Atlântico Norte. Por décadas esse lugar tem sido apontado como um local tenebroso para o desaparecimento inexplicável de pessoas, navios e aviões.

Para alguns, tudo é culpa de forças ocultas e misteriosas. Outros afirmam que alienígenas tomam conta da região sequestrando humanos para experiências. Também existem aqueles que apontam uma ligação entre o Triângulo das Bermudas e Atlântida, o continente perdido.

No entanto, o que quase ninguém sabe é que as lendas e mitos sobre essa região do planeta tem uma origem muito menos complexa e sobrenatural: a mídia!

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

A origem das lendas inexplicáveis

As histórias dos desaparecimentos inexplicáveis no Triângulo das Bermudas só começaram por volta do século XX. No dia 17 setembro de 1950, o jornal estadunidense Miami Herald publicou um artigo descrevendo uma série de desaparecimentos na região das Bermudas.

O artigo, escrito por Edward Van Winkle Jones, falava sobre o sumiço de cinco aviões torpedeiros, um navio e uma embarcação de resgate. Todos sumiram misteriosamente em um período de 5 anos, levando junto um total de 135 pessoas.

Dois anos mais tarde, a revista paranormal Fate foi além e aumentou a lista de desaparecidos. A publicação incluiu cinco aviões que estavam em uma missão de treinamento em 1945.

Ao longo dos anos seguintes, as publicações sobre as lendas misteriosas e desaparecimentos de aviões e navios no Triângulo das Bermudas foram se multiplicando, assim como as teorias para explicar os acontecimentos. O nome do lugar foi cunhado pelo escritor Vicent Gaddis em uma publicação na revista Argosy, em 1964.

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Omissão e dinheiro

Lembra do artigo do Miami Herald escrito por VW Jones? Pois bem, na época ele não chamou muita a atenção dos leitores do jornal. Além disso, Jones não colocou em seu artigo alguns dados fundamentais como, por exemplo, que a região onde as embarcações andavam sumindo sem explicação era uma das áreas de tráfego mais intensas daquela época.

Por ali o fluxo de navios comerciais, treinamentos militares, prática da pesca e de turismo era denso. Ou seja, ele deixou de lado todas as possibilidades técnicas para os desaparecimentos e as varreu para debaixo do tapete do mistério.

Talvez ele soubesse o que estava fazendo. Jones e outros autores e editores da época perceberam um tipo de fenômeno no qual valia a pena investir: mistérios sem explicação, atribuídos a alienígenas e ao sobrenatural vendiam bem. Era o nascimento de uma nova era de ouro para ficção científica.

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Até hoje essa ideia funciona. Mas uma coisa é certa: o oceano sempre foi um mistério para os humanos. Sem contar que quando a má navegação se junta ao mau tempo, pode se tornar um lugar mortal em qualquer parte do mundo.

A propósito, não existe nenhuma evidência de que os aviões e navios desapareçam com mais frequência no Triângulo das Bermudas do que outros mares ao redor do planeta!

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.