4 dicas de sobrevivência que nós esperamos que você nunca precise usar
126
Compartilhamentos

4 dicas de sobrevivência que nós esperamos que você nunca precise usar

Último Vídeo

Nós, aqui do Mega Curioso, já postamos diversas matérias com dicas sobre o que fazer em caso de apuros, como se defender de um cão feroz, evitar ser atingido por um raio e como agir se você for enterrado vivo. A nossa equipe inclusive já publicou dicas de como escapar do pessoal do telemerketing e até de como não ser abduzido por um alienígena!

Pois, recentemente, nos deparamos com um artigo muito interessante de Abby Norman, do portal All That Is Interesting, e nele há várias dicas úteis sobre o que devemos fazer para sobreviver a uma série de situações. Confira a seguir.

1 – Como sobreviver se o seu carro virar um submarino

Digamos que você está dirigindo e, assim como acontece em um desses filmes de ação, você voa por uma ponte e mergulha com o seu carro em um rio! O que fazer? Em primeiro lugar, deixe todos os seus pertences para trás — não tente pegar a sua mochila, a carteira, o celular, a bolsa... a prioridade é sair do veículo o mais rápido possível. E, em hipótese alguma, tente abrir a porta para sair, pois, além de difícil, você só vai fazer com que a água entre mais depressa.

Em vez de tentar escapar pela porta, saia pela janela. Segundo Abby, depois que o carro fica submerso, nós temos entre cerca de 30 segundos e um minuto para escapulir, que é o tempo que o veículo leva para se encher de água. Além disso, após esse período, conforme o automóvel afunda, a pressão vai fazer com que ele mergulhe ainda mais depressa. Aliás, caso os vidros sejam elétricos, não tenha dó e quebre o que estiver mais próximo de você.

2 – Como sobreviver se você se perder na mata

Você foi fazer uma trilha na mata e, de repente, se dá conta de que não faz ideia de onde está. Antes de entrar em pânico, Abby sugere que você faça como os escoteiros, ou seja, pare, pense, observe e planeje. Um importante ponto de partida é encontrar uma fonte água, como um riacho ou rio, e se você tiver condições de fervê-la antes de beber, melhor ainda. Outra opção seria coletar a água da chuva — e a vantagem é que essa dispensa a fervura.

Você também pode fazer uma pequena fogueira — contanto que não haja o risco de você provocar um incêndio! Para isso, procure galhos e folhas secas de tamanhos variados e monte uma estrutura em forma de pirâmide, atentando para que a madeira fique no centro. Você não tem um isqueiro ou fósforos à mão para acender o fogo? Sem problemas! Encontre um pedaço de madeira macia e faça um sulco em sua base.

Depois, pegue um graveto mais sólido e esfregue uma das extremidade ao longo do sulco que você fez na madeira — para criar calor através da fricção. Quando ela começar a pegar fogo, assopre delicadamente para ajudar no processo. Assim que a chama aparecer, agregue gravetos e folhas secas para mantê-lo aceso. Após solucionar o problema da fogueira, lembre-se de ficar alerta para evitar o “encontro” acidental com predadores.

Agora, imagine que passou algum tempo e ninguém apareceu para salvá-lo. Nesse caso, a melhor saída é encontrar um rio e seguir seu curso, já que essa é a sua melhor chance de chegar a um lugar habitado. Além disso, se a fome apertar, evite frutinhas brancas ou vermelhas, cogumelos, qualquer coisa com cheiro que lembre o de amêndoas e que tenha sabor amargo ou de sabão, seivas esbranquiçadas e folhas em grupos de três ou descoloridas.

3 – Como sobreviver a uma avalanche

Pode parecer besteira aprender o que fazer no caso de uma avalanche, mas vai que você está de férias em algum resort para esquiadores e tem o azar de ser pego por uma delas! Segundo Abby, o primeiro a fazer é tentar — e não pense que será fácil — “nadar” em direção à parte superior da onda de neve para evitar que você fique soterrado sob metros de detritos e gelo. Afinal, depois que a coisa acabar, o seu suprimento de ar deve durar cerca de 15 minutos.

Se você conseguir ficar nas camadas mais superiores, é importante manter um dos braços elevados, sobre a sua cabeça, pois, assim, será mais fácil para o pessoal de resgate localizar você. Além disso, essa ação pode ajudá-lo a se orientar. E já que estamos no assunto, outra forma de determinar a sua posição para saber em qual direção continuar cavando é cuspir — isso mesmo, dar uma cuspidela — e ver onde a saliva cai.

4 – Como sobreviver a uma hemorragia

De acordo com Abby, é muito importante aprender algumas noções básicas de primeiros socorros, pois, no caso de um acidente grave, saber o que fazer para manter as vítimas estáveis até que o socorro chegue pode fazer toda a diferença. No caso desta dica — de como sobreviver a uma hemorragia —, vamos orientá-lo sobre como agir se você se deparar com alguém sangrando profusamente.

A primeira coisa a fazer é aplicar pressão sobre o ferimento. Se você tiver algum curativo esterilizado à mão, melhor ainda (se não tiver, use um tecido limpo). Enquanto você estiver aplicando a pressão, tente elevar a extremidade ferida até uma altura que fique acima do nível do coração, já que dessa forma você fará com que o fluxo de sangue até o ferimento diminua. Se nada disso funcionar...

A última alternativa em caso de hemorragia é aplicar um torniquete. Contudo, se você não tiver escolha (suponhamos que o acidentado sofreu uma amputação, por exemplo), encontre um pedaço de corda, cinto, fita — nunca um fio ou arame —, enfim, qualquer material que possa ser amarrado ao redor do ferimento sem machucar a pele. Faça um nó simples entre 5 e 10 centímetros do corte, posicione um graveto sobre o laço, faça outro nó e, então, torça.

Lembre-se de evitar fazer o torniquete diretamente sobre a pele da vítima (faça sobre a roupa mesmo), e não se esqueça de verificar por quanto tempo ele foi aplicado. Além disso, é muito importante que você o deixe visível e nunca tente removê-lo sozinho. E quando o socorro chegar, informe os paramédicos sobre o que você fez e o horário no qual o torniquete foi colocado.

Você alguma vez teve que lutar para sobreviver a uma situação perigosa? Comente no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.