258
Compartilhamentos

Rio de lixo impressiona e ameaça a saúde pública na capital do Líbano

Na capital do Líbano, Beirute, um verdadeiro “rio de lixo” está se formando com o acúmulo de resíduos que estão sem um destino desde que o aterro sanitário da cidade foi fechado, em julho do ano passado. As imagens são impressionantes e mostram toneladas de lixos que estão modificando a paisagem da região.

Além da poluição visual, o pior mesmo é o risco que o acúmulo descontrolado de lixo traz à saúde pública e ao meio ambiente. Nenhuma alternativa foi apresentada, e o depósito irregular cresce a cada dia. Atualmente, mais de 2 milhões de toneladas de resíduos se acumulam no subúrbio de Jdeideh.

Toneladas de resíduos mudaram a paisagem do subúrbio Jdeideh, em Beirute

O “rio de lixo”, como vem sendo chamado, oferece riscos a lençóis freáticos que alimentam rios de verdade da capital libanesa. Caso isso aconteça, o fornecimento de água ficará bastante comprometido. Muitas pessoas estão queimando o próprio lixo, mas a fumaça tóxica compromete a saúde – tanto que os problemas respiratórios já aumentaram em 25%.

Uma empresa britânica se ofereceu para levar os resíduos até aterros na Rússia, mas a documentação não ficou pronta, deixando a proposta às moscas. Segundo moradores, o cheiro é insuportável, mas deve piorar ainda mais quando o verão chegar no Hemisfério Norte, em junho. O caso lembra a situação calamitosa enfrentada pela China, que relatamos aqui no Mega no final do ano passado.

***

Confira o "rio de lixo" que ameaça a saúde pública no Líbano. Comente no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER