Mulher confunde um tipo agressivo de câncer de pele com mudanças hormonais
383
Compartilhamentos

Mulher confunde um tipo agressivo de câncer de pele com mudanças hormonais

Último Vídeo

Quando estava grávida do segundo filho, Bethany Greenway, de 39 anos, não podia imaginar que uma mancha escura em sua testa não se tratava de mais uma mudança hormonal provocada pela gestação  mas, sim, um tipo avançado de melanoma, que é um agressivo câncer de pele.

No começo, a dermatologista de Greenway indicou que ela não se preocupasse com a alteração na pele, afinal não aparentava ser algo grave. No entanto, um ano depois, a mesma profissional precisou encaminhá-la para fazer uma biópsia, pois no interior dessa mancha apareceu uma pinta ainda mais escura, que, além de tudo, causava dores.

O resultado dos exames

O exame atestou que a mancha na testa da norte-americana se tratava, na verdade, de um melanoma e a pinta no interior dela, um melanoma desmoplásico, uma forma rara da doença e um tipo de câncer especialmente agressivo. Para que Bethany sobrevivesse, os médicos precisavam agir com rapidez e cautela.

Para tanto, ela teve de passar por procedimentos cirúrgicos que deixaram um corte profundo em sua testa, e um enxerto de pele precisou ser colocado no local onde a ferida ficou aberta. Para garantir que seu corpo aceitasse o transplante, ela ficou alguns meses com uma esponja de compressão amarela na região comprometida. Além disso, Bethany fez imunoterapia — um tratamento medicamentoso cujo objetivo é estimular as células de defesa do corpo a combater o tumor maligno — e, também, sessões de radioterapia. 

Os efeitos colaterais

Como consequência desses tratamentos, a paciente teve uma série de efeitos colaterais, tais como queda de cabelo, erupções cutâneas, queimaduras na pele, garganta e boca e perda de 18 quilos. “Minha pele ficou cheia de feridas, perdi a capacidade de provar comida, e minha voz estava muito rouca”, desabafa. Agora, aos 39 anos, ela aguarda, ansiosa, a permissão de seu oncologista para realizar uma cirurgia plástica a fim de escamotear a cicatriz deixada pelos procedimentos.

Em sua página no Facebook, Bethany compartilha imagens da sua recuperação e aproveita a oportunidade para alertar mulheres e homens sobre os riscos da excessiva exposição à radiação ultravioleta. “Por favor, pare de tomar banhos de sol e fazer sessões de bronzeamento. Um bronzeado não é um brilho saudável, é uma pele danificada”, aconselha.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.