Mulher descobre câncer, mas sua verdadeira “doença” eram as tatuagens

Na semana passada, trouxemos a história de um homem com suspeita de câncer que descobriu apenas ter um pequeno brinquedo alojado em seu pulmão durante 40 anos. Agora, outra história bizarra e semelhante está pipocando na internet: a de uma mulher com suspeita de linfoma, mas que, na verdade, só estava tatuada!

Tudo começou quando uma australiana de 30 anos, que não teve o nome divulgado, sentiu alguns carocinhos na axila. Ela procurou um especialista que foi categórico: linfoma, um tipo de câncer que atinge os gânglios linfáticos, responsáveis pela produção de glóbulos brancos e pela defesa do sistema imunológico. O diagnóstico precoce é fundamental para a cura!

A única questão é que a mulher não precisava se curar de nada. Outros nódulos semelhantes ao da axila foram encontrados em seu peito, mas uma análise laboratorial identificou que realmente se tratavam de gânglios inflamados, mas não por conta de um câncer – a causa mais comum –, e sim por causa de pigmentos de suas tatuagens que inflamaram!

Sintomas

A mulher tinha uma tattoo nas costas, feitas 15 anos antes, e outra no ombro, mais recente. Provavelmente, alguma célula da pele absorveu a tinta, mas, sem conseguir digeri-la, acabou criando a inflamação, que acabou parando nos gânglios linfáticos. O que levou essa reação a estourar tanto tempo depois da arte corporal ninguém sabe – o caso é inédito no mundo!

Segundo o relatório médico, a mulher se recupera bem e o inchaço dos gânglios já diminuiu. Ela também não ficará com nenhuma sequela ou sintoma desse susto, mas provavelmente vai pensar duas vezes antes de se arriscar em uma nova tatuagem. Bizarro, hein? 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.