Seja o primeiro a compartilhar

Café: benefícios e malefícios da bebida

A bebida que é a “queridinha” dos brasileiros é o centro das atenções quando se fala em benefícios e malefícios. Seguimos a rotina e muitas vezes os hábitos são involuntários, e não percebemos se aquilo que estamos ingerindo faz bem ou se estamos consumindo na quantidade ideal, por isso, é essencial conhecer tudo aquilo que bebemos e comemos. Será que tomar café é realmente saudável?

Efeitos fisiológicos do café no organismo

O café é uma bebida que tem como principal componente bioativo a cafeína, que é um importante estimulante, por isso, deve-se ter muito cuidado na sua ingestão. O café é um produto que está na categoria dos minimamente processados, pois nele não há aditivos.

Trata-se de uma bebida diurna e não devemos ter o costume de bebê-la após as 16 horas. Para ser considerada uma bebida saudável, deve-se evitar o uso de açúcar refinado, preferindo sempre o consumo sem adoçar, ou com adoçantes naturais, como a stevia.

Quanto café eu posso tomar?

A quantidade máxima de cafeína que é saudável para pessoas que não possuem nenhum problema de saúde ingerirem é de 400 mg por dia. Mas quanto de café preparado dá isso? A resposta não é simples, nem satisfatória: depende.

De acordo com o USDA National Nutrient Database for Standard Reference, um banco de dados referência do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, 240 ml de café coado, usando pó torrado comum, contém em média 95 mg de cafeína.

O Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, uma publicação científica feita pela Academia de Nutrição e Dietética dos Estados Unidos, diz que em 200 ml de café comum pode possuir de 80 a 135 mg de cafeína. Já a Erowid, uma organização educacional sem fins lucrativos que fornece informações sobre plantas e produtos químicos psicoativos, diz que 207 ml de café tem de 80 a 140 mg da substância estimulante.

Fazendo as contas, isso dá aproximadamente um consumo que vai de 590 ml a 1 litro da bebida dependendo de sua concentração de cafeína, que pode ser afetada por uma série de variáveis, como tipo de grão, método de preparo e várias outras coisas no caminho que vai da planta até a bebida pronta (lembre-se que o café espresso tem muito mais cafeína do que o coado, por exemplo). Concluindo o raciocínio, como em tudo na vida, o bom é nunca exagerar.

Para as grávidas, o limite é bem menor — máximo de 200 mg de cafeína diariamente. Isso porque a cafeína faz acelerar os batimentos cardíacos, aumentar a pressão arterial podendo causar algumas complicações de desenvolvimento ao feto, e aí todo cuidado é pouco.

Já para crianças, claro, o café deve ser totalmente evitado até os 2 anos de idade, e raramente oferecido para elas, porque a bebida contém fatores antinutricionais que atrapalham a absorção de nutrientes, principalmente de ferro.

Grávidas precisam ter responsabilidade no consumo de café
Grávidas precisam ter responsabilidade no consumo de café

Dentre os malefícios do café, estão (os sintomas variam de pessoa para pessoa): fortes dores de cabeça, diarreia (pois a bebida é irritante do intestino), cólicas abdominais, dores estomacais, insônia, tontura, palpitações, ansiedade, enjoos, refluxo, azia, problemas gastrointestinais, causa irritabilidade, stress, mudanças de humor e má absorção de minerais. Por isso, evite tomar café depois das refeições.

Consumir cafeína indiscriminadamente pode alterar a frequência cardíaca
Consumir cafeína indiscriminadamente pode alterar a frequência cardíaca

Já os benefícios são diversos se consumido na quantidade correta. O café proporciona aumento do gasto energético basal, ou seja, o consumo calórico do indivíduo tem um aumento significativo; do trânsito intestinal; possui minerais, como ferro, zinco, potássio e magnésio; combate os sintomas da depressão; possui antioxidantes e anticancerígenos, que são os ácidos clorogênicos; aumenta o estado de atenção, concentração e vigília; ajuda a manter o foco e faz a concentração melhorar; diminui o cansaço e a sonolência.

O café também ajuda no metabolismo lipídico com os componentes cafestol e caveol e diminui a quantidade de glicose no sangue. Também há estudos que mostram que o café ajuda na prevenção do mal de Alzheimer e Parkinson.

A cafeína proporciona foco e concentração
A cafeína proporciona foco e concentração

É válido ressaltar que pessoas que sofrem de ansiedade, síndrome do pânico, tremores, insônia, taquicardia, hipertensão, gastrite, úlceras, refluxos e síndrome do intestino irritável devem evitar tomar café.

Então, sim, o café pode ser consumido sem problemas desde que com equilíbrio, moderação e dosagens apropriadas.

***

Marcela Andrade, colunista semanal do Mega Curioso, é bacharel em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, bacharel em Nutrição, perita judicial na área da Nutrição,  e pós-graduanda em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.