É possível pegar covid-19 tocando em superfícies?

Desde que a pandemia de covid-19 se tornou um problema gravíssimo para a sociedade, as pessoas passaram a buscar mais formas de diminuir a propagação do vírus. Por isso, lavar compras de supermercado com álcool ou tomar extrema cautela com a higienização de superfícies virou algo comum no cotidiano de muitas pessoas.

Mas afinal, é realmente possível ser infectado dessa maneira? Por maior que seja o medo sentido pelas pessoas, o avanço dos estudos sobre a disseminação do vírus Sars-CoV-2 mostra que ele passa de pessoa para pessoa muito mais pelo ar do que por esse método de transmissão. Entenda!

Higienização excessiva

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Embora todo cuidado possa ser considerado "pouco", sair borrifando álcool em tudo quanto é coisa pode ser considerado um comportamento excessivo quando analisamos a quantidade de informações que temos sobre a covid-19 atualmente. 

Isso significa que é completamente impossível pegar a doença tocando em uma superfície contaminada e depois levando a mão até os olhos ou a boca? Não, porém a probabilidade de isso acontecer é muito mais baixa do que nós imaginávamos no começo da pandemia. 

Em comunicado, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos alegou que "existem poucos relatos de casos de covid-19 potencialmente atribuídos à transmissão por objetos". De acordo com o órgão, as chances de uma pessoa se contaminar dessa forma é menor que 1 em 10 mil.

Coronavírus na superfície

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Em geral, o novo coronavírus é um tipo de vírus envelopado, o que significa que todo seu material genético está armazenado dentro de uma camada externa de lipídios e proteínas. Esse envelope é também o que contém os peplômeros — estruturas em formato de espinho, chamadas em inglês de spikes —, que se agarram às células humanas e iniciam a infecção.

Entretanto, o envelope do vírus SarS-CoV-2 se desfaz com facilidade depois que entra em contato com certos produtos de limpeza ou de acordo com algumas condições ambientais, ou seja, existe uma série de fatores que precisam ser considerados para sabermos a taxa de contaminação do vírus fora do nosso corpo, como:

  • uso ou não de máscaras;
  • quantidade de partículas de vírus que chega até a superfície;
  • tempo de contato entre o toque da pessoa e a superfície contaminada;
  • quantidade de vírus que a pessoa leva até suas membranas mucosas.

Geralmente, o vírus não costuma sobreviver às condições climáticas fora do organismo humano ou sobrevive em baixíssima quantidade. Isso faz com que a maioria das superfícies sejam "inofensivas" e que o simples ato de higienização das mãos já te deixe protegido de uma possível infecção.

Cuidados com a saúde

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Mais do que o cuidado com a limpeza de objetos e superfícies, a população deve estar atenta com outros fatores para se manter livre da covid-19. Por exemplo, as taxas de infecção costumam ser muito mais altas em ambientes não arejados e sem grande distanciamento social.

Sendo assim, muito mais vale manter uma janela aberta e seguir com o uso dos modelos de máscara efetivos, como a N95/PFF2, do que se afobar quanto a higienização de tudo que você toca. E quando sair de casa, lembre-se de que o álcool em gel costuma ser um grande aliado para suas mãos. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.