Seja o primeiro a compartilhar

Bebês podem ser expostos ao sol?

Em 2013, uma família de Santa Tereza do Oeste, no Paraná, foi denunciada por vizinhos após um bebê de cinco meses sofrer queimaduras provocadas por exposição ao sol — o que resultou em hospitalização. Segundo os funcionários do Conselho Tutelar que acompanharam o caso, a criança sofreu queimaduras de 1º e 2º graus quase que em seu corpo inteiro.

Os responsáveis tiveram que responder por crimes de maus tratos e a justiça decidiu que o bebê deveria ficar com a avó materna. O caso, por mais absurdo que parece, não é tão incomum assim. Afinal, muitos papais e mamães de primeira viagem não fazem ideia como lidar com seus filhos no quesito exposição solar e podem ser bastante descuidados. Com isso em mente, um bebê pode tomar sol? Veja só o que dizem os especialistas!

Bebês podem tomar sol?

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Por muito tempo, recomendava-se que todos os bebês recebessem um banho de sol diário para aumentar a produção de vitamina D ou diminuir a icterícia — que causa coloração amarela na pele dos mais jovens. No entanto, avanços científicos passaram a mostrar que a vitamina D deve ser suplementada via oral e que a icterícia pode ser tranquilamente tratada com equipamentos de fototerapia.

Sendo assim, especialistas passaram a afirmar que um bebê não deve ser exposto diretamente ao sol até pelo menos os seis meses, pois é nessa fase da vida que são mais suscetíveis a apresentar queimaduras e desidratação. O melhor horário para deixar uma criança em contato com o sol é antes das 10 horas e depois das 16 horas, quando a radiação ultravioleta é menor.

Além disso, os protetores solares podem e devem ser usados em crianças pelo menos 20 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada duas horas. Caso o jovem entre em contato com água, o produto deve ser reaplicado logo depois. Se você anda planejando dar uma voltinha com seu filho em um dia de céu aberto, evite a exposição nos horários de pico da radiação ultravioleta, dê preferência para lugares com muita sombra, tenha cuidado redobrado com a hidratação e use roupas adequadas à estação do ano — como óculos e chapéu.

Recomendações especiais

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Como dito anteriormente, os médicos costumam recomendar que nenhum bebê com menos de seis meses de idade fique exposto ao sol por muito tempo. E qual o motivo dessa restrição? Nessa idade, a pele do bebê ainda é muito sensível e o uso de protetores solares pode causar processos alérgicos e irritativos, como dermatites de contato, vermelhidão, descamação e outras lesões cutâneas.

Após esse período, no entanto, o protetor solar será o melhor amigo de seus filhos para o resto da vida. Em relação ao fator de proteção solar (FPS), o mínimo para pessoas mais novas deve ser 30, com aplicação no corpo todo, incluindo orelhas, mãos e pés. Bebês não são como os adultos e não devem ficar "bronzeados". Qualquer queimadura solar de primeiro grau configura fator de risco para câncer de pele no futuro.

Em dias muito acalorados, os pais devem reforçar a hidratação dos bebês acima de seis meses oferecendo água, sucos naturais, água de coco e alimentos que contenham água, como melancia e melão. Com eessas medidas, seus filhos estarão mais seguros e longe de qualquer risco futuro. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.