(Fonte da imagem: iStock)

Sem meias palavras: o excesso de açúcar pode torná-lo estúpido. Uma pesquisa recente sugere que o consumo descuidado de frutose pode afetar tanto o raciocínio quanto a memória evocativa — a sua capacidade de “lembrar-se das coisas”. A conclusão segue um estudo conduzido em laboratório, no qual compararam-se o xarope de milho — seis vezes mais “doce” que o açúcar de cana” — ao ácidos graxos ômega-3, conhecidos por auxiliar na memória e no aprendizado.

O experimento tomou dois grupos de ratos: um deles alimentado com uma dieta de açucares, o outro de forma saudável. Durante o estudo, recentemente publicado no Journal of Physiology, os pesquisadores da Universidade da Califórnia fizeram com que ambos os grupos tivessem que atravessar um labirinto provido de marcas, para que pudessem apreender o caminho.

Seis semanas depois, após a aplicação das dietas, os ratos foram novamente submetidos ao labirinto, a fim de testar as suas habilidades de rememorar o percurso correto. Conforme afirmou o coautor do projeto, Fernando Gomez-Pinilla, ao site Dailymail, o grupo de ratos alimentado apenas com açúcar foi consideravelmente mais lento, apresentando óbvio declínio cerebral.

Segundo ele, “uma dieta rica em frutose altera, ao longo do tempo, as habilidades do seu cérebro de aprender e rememorar informações”. A boa notícia? Nozes e peixes (como o salmão) podem evitar a estupidez coletiva. “Adicionar os ácidos graxos ômega-3 às suas refeições podem minimizar os danos”, disse Gomez-Pinilla, ressaltando que a conclusão não vale para a frutose naturalmente encontrada nas frutas, as quais contêm “valiosos antioxidantes”.

Fonte: Dailymail