(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia)

De acordo com uma notícia publicada pelo site da American Heart Association, um grupo de engenheiros aeroespaciais da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo tipo de marca-passo que dispensa o uso de baterias e é alimentado pelas batidas do coração do próprio paciente.

Segundo a publicação, o dispositivo obtém a energia necessária a partir da reverberação produzida pelas batidas do coração e a converte em eletricidade para fazer com que o marca-passo funcione, evitando que os pacientes tenham que passar por procedimentos cirúrgicos para a troca de baterias, algo que deve ser realizado a cada 5 ou 7 anos.

Conforme explicou o chefe do projeto, o Dr. Amin Kagerami, o protótipo emprega a piezoeletricidade para funcionar e os testes demonstraram que a energia gerada chega a ser 10 vezes maior do que a necessária para manter o marca-passo em funcionamento. Além disso, o novo dispositivo possui a metade do tamanho dos aparelhos convencionais e conta com um capacitor para armazenar e fornecer energia em caso de emergência.