Veja os ataques de grandes tubarões-brancos em câmera de pesquisa [vídeo]
150
Compartilhamentos

Veja os ataques de grandes tubarões-brancos em câmera de pesquisa [vídeo]

Último Vídeo

As imagens que você verá abaixo são de vários ataques de grandes tubarões-brancos. Porém, felizmente, o único “ferido” nessas ocorrências foi um robô de monitoramento utilizado por alguns pesquisadores que testavam o dispositivo SharkCam, no México.

Conhecido melhor sob a sigla REMUS (Remote Environmental Monitoring Units/ Unidade de Monitoramento Ambiental Remoto), o SharkCam capturou imagens muito mais impressionantes do que os estudiosos esperavam. Em vez de apenas observações usuais ou interações pacíficas dos animais, o aparelho foi atacado diversas vezes por vários tubarões.

Dispositivo de pesquisa

O REMUS é um veículo submarino autônomo em forma de torpedo que é equipado com seis câmeras de vídeo GoPro, juntamente com ferramentas de navegação e comunicação que permitem que os cientistas localizem, rastreiem e registrem imagens dos animais marinhos de perto.

O dispositivo também pode ser pré-programado para guardar sinais vindos de um transponder ligado a animais previamente marcados em profundidades de até 100 metros. Isso permite que ele determine a variação, comportamento e profundidade em que se mantêm animais como focas, tartarugas marinhas e o tubarão-branco do Atlântico Norte (Carcharodon carcharias).

Registro dos ataques

Os registros do vídeo acima foram realizados por pesquisadores do Instituto Oceanográfico Woods Hole (WHOI), que estavam testando o SharkCam na observação de tubarões-brancos e tubarões-frade (Cetorhinus maximus), perto de Cape Cod e também nas Ilhas Guadalupe, na costa oeste do México.

Nos vários encontros dos peixes grandalhões e assustadores, os tubarões parecem se esconder por baixo do dispositivo até dar o bote de repente e mordê-lo com toda a força em ambas as extremidades, da mesma forma como eles caçam focas.

Após os ataques ao aparelho um tanto duro com as suas poderosas mandíbulas, os tubarões devem ter saído um pouco frustrados e com dor de dente. Já o REMUS ficou danificado, mas conseguiu “sobreviver” com informações e imagens preciosas, apesar de alguns furos e arranhões.

Apesar de terem sido registradas em 2013, as imagens foram divulgadas somente na metade deste ano a fim de voltar as atenções para a Shark Week na página do Discovery Channel, onde a observação de tubarões está disponível online com diversas câmeras em locais diferentes.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.