Cores de estátuas da Grécia e Roma antiga são reveladas em seu esplendor
455
Compartilhamentos

Cores de estátuas da Grécia e Roma antiga são reveladas em seu esplendor

Último Vídeo

Você já deve ter visto milhares de imagens de estátuas da Grécia e da Roma antiga — ou quem sabe até ter tido a sorte de vê-las de perto em algum museu —, esculpidas em mármore e com aquele estilo próprio inconfundível, não é mesmo? No entanto, quem as admira hoje em dia, todas branquinhas, não imagina que, na verdade, essas estátuas eram originalmente supercoloridas!

De acordo com os arqueólogos — especialmente o alemão Vinzenz Brinkmann, especialista em técnicas de reconstrução de cor —, os artistas da época utilizavam materiais orgânicos e minerais para colorir as esculturas. Contudo, depois de séculos de deterioração e de passar por incontáveis processos de limpeza, qualquer vestígio das cores originais dessas obras acabou sendo apagado.

Iluminando o passado

Através de técnicas baseadas na espectroscopia de raios X e na aplicação de luz ultravioleta em um determinado ângulo, é possível detectar imperfeições, presença de partículas de sujeira, identificar padrões e até as pinceladas da superfície. Além disso, esse tipo de iluminação também torna visíveis alguns elementos presentes nos pigmentos originais, que emitem determinados comprimentos de onda dependendo da sua composição.

E é a partir dessa “revelação” que os arqueólogos começam as pesquisas para identificar as tonalidades originais presentes nas superfícies das obras e iniciar os trabalhos de restauração. Assim, foi com base nessas técnicas que os especialistas criaram réplicas de algumas esculturas famosas da antiguidade, trazendo de volta à vida as cores que elas apresentavam quando foram criadas, há muitos e muitos séculos.

Há quem ache que as estátuas descoloridas são mais bonitas, chamando de “cafona” todas as tonalidades utilizadas pelos antigos artistas. Confira uma seleção dessas incríveis réplicas coloridas a seguir — algumas ao lado das imagens utilizadas para a pesquisa de reconstrução —, e conte para a gente nos comentários qual versão você prefere, com ou sem cores:

Jovem atleta, século I

Fonte da imagem: Reprodução/Smithsonian.com

Aristion, guerreiro grego, 510 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Sarcófago de Alexandre, 320 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Atena, 490 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Leão de Loutraki, 550 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Arqueiro troiano, 490 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Afrodite, século I

Fonte da imagem: Reprodução/Smithsonian.com

Cabeça de guerreiro, 480 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Korai, 530 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Vaso, 380 a.C.

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Calígula, século I

Fonte da imagem: Reprodução/Archaeology

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.