199
Compartilhamentos

Redes neurais fazem filme de 1896 parecer ter sido gravado em 4K

Os filmes antigos nos fornecem diversas informações sobre o modo de vida e pensamento dos nossos antepassados, entretanto, por conta das tecnologias antigas utilizadas na época, a qualidade e técnica das filmagens não era tão boa assim.

Entretanto, uma obra feita em 1896 chamou a atenção por estar muito a frente do seu tempo: L’Arrivée d’un train en gare de La Ciotat (A Chegada do trem na estação) é um pequeno curta de 45 segundos que mostra justamente um trem chegando em sua estação.

Apesar da simplicidade do roteiro, o que chama a atenção do filme é que, pelo modo em que foi gravado, dá-se a impressão de que o veículo está "saltando da tela", parecido com o que acontece em filmes 3D atuais.

A Chegada do Trem na Estação foi gravado pelos irmãos Louis e Auguste Lumière, sendo uma das primeiras obras a serem apresentadas pela dupla. Já na sua primeira exibição, as pessoas começaram a gritar e fugir por conta da ilusão de ótica.

L’Arrivée d’un train en gare de La Ciotat simulava o efeito 3D por meio de técnicas de filmagem (Captura de tela Denis Shiryaev/YouTube)

Utilizando redes neurais para retoques de vídeo

Apesar de atualmente o vídeo não causar o mesmo efeito, Denis Shiryaev, um desenvolvedor e Youtuber, decidiu que queria dar um upgrade na obra. Por meio da utilização de algoritmos de redes neurais, ele conseguiu aumentar a qualidade da filmagem para 4K (a mesma utilizada em televisões e monitores de alta resolução), além de estabelecer a obra em 60 quadros por segundo.

O resultado é impressionante, já que o vídeo, agora em melhor qualidade, aparenta ter sido filmado em um celular moderno. Não foi possível adicionar cores ao vídeo, continuando, assim, em preto e branco. Entrentato, a fluidez e qualidade de vídeo foram otimizados com a utilização das redes neurais, o que já traz uma ideia de modernidade para a obra e melhora a percepção dos elementos que compoem o filme.

Confira abaixo o resultado do retoque de vídeo:

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.