Coruja surpreende fotógrafos e permite imagens incríveis

Fotografias espontâneas são uma combinação de habilidade técnica, olhar certeiro e timing — ainda mais quando se trata de vida selvagem. Agora imagine a surpresa do fotógrafo norte-americano Scott Dere quando uma coruja simplesmente decidiu voar e pousar no equipamento dele! Graças a outro fotógrafo, a cena épica foi registrada — e não foi a única.

(Fonte: Beaumon Day/Reprodução)
(Fonte: Beaumon Day/Reprodução)

Scott conta que foi ao local exatamente para procurar corujas-cinzentas (Strix nebulosa), que são mestres da camuflagem. Logo que chegou lá, conversou um pouco com outros fotógrafos que estavam indo embora decepcionados por não terem conseguido nada em aproximadamente 2 horas de observação e espera.

Uma recompensa e tanto

Pouco tempo depois de se separarem, Scott viu uma coruja e fez sinal para que eles voltassem. “Ficamos observando por alguns minutos quando, de repente, a ave voou para a cabeça de Scott e, depois, para o seu equipamento. Ele olhava para mim como se dissesse ‘Caramba! É sério isso?!’”, conta o fotógrafo Beaumon Day. Acostumado a estar por trás das lentes, Scott acabou se tornando modelo da foto que viralizou depois de ser postada em seu Instagram

Segundo os relatos, a coruja era jovem e estava curiosa com relação aos visitantes. Por cerca de 1 hora, ela os presenteou com voos próximos enquanto caçava e chegou a pousar também na cabeça da fotógrafa Brooke Bartleson! Ou seja, mais à vontade, impossível. “Já tive alguns encontros incríveis com a vida selvagem e, às vezes, dá para sentir que estão confortáveis com a sua presença. Enquanto você está lá, acaba sentindo uma conexão”, afirma Brooke.

(Fonte: Beaumon Day/Reprodução)
(Fonte: Beaumon Day/Reprodução)

Beaumon diz que o primeiro desafio é exatamente encontrar as corujas, já que são ótimas na camuflagem. Em seguida, vem a questão de fotografar o voo em si, que exige bastante técnica e atenção a detalhes. “É preciso seguir a ave enquanto ela voa, mantendo-a no enquadramento sem cortar as asas e garantindo que a velocidade do obturador esteja adequada etc. Mas tudo isso com certeza vale a pena”, conclui. 

(Fonte: Beaumon Day/Reprodução)
(Fonte: Beaumon Day/Reprodução)
Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.