Conheça a incrível história dos sétuplos da família McCaughey

A chance de uma mulher ter uma gestação de gêmeos é de uma a cada 90. E o que dizer então da gestação de sete bebês ao mesmo tempo? E mais difícil ainda: quais as chances de todos esses bebês se desenvolverem plenamente e chegarem até a idade adulta? Esse caso raríssimo é a história dos sétuplos da família McCaughey, nascidos em Des Moines, Iowa, em 1997.

A história destes irmãos é fascinante: ela começa em 1996, quando o casal Bobbi e Kenny McCaughley tornaram-se pais da pequena Mykaila Marie. Em razão de um problema na hipófise, Bobbi foi informada que provavelmente teria dificuldades para engravidar novamente.

O casal, no entanto, não planejava parar apenas na primeira filha. Por isso, resolveram fazer um tratamento de fertilidade que estimularia a ovulação de Bobbi. O resultado: ela acabou engravidando novamente. Mas para surpresa do casal, a gestação era de nada menos que sete bebês.

(Foto: Reprodução/brightside.me)

Se a gravidez de gêmeos tende a ser considerada de risco, a de sétuplos, portanto, era de risco altíssimo. Bobbi e Kenny foram aconselhados a fazer uma “redução seletiva” — que seria “privilegiar” os bebês que tivessem maior chance de sobreviver à gestação, abortando os outros.

No entanto, o casal McCaughley não aceitou essa alternativa e resolveu arriscar levar a gravidez, tal como estava, até o fim. Ao tomar essa decisão, a gravidez de Bobbi ficou famosa. Por consequência, eles receberam inúmeras doações que foram de fraldas, roupas e alimentos, até um carro e uma casa.

A gestação evoluiu até a semana 31 — o normal é que os bebês nasçam entre as semanas 38 e 40. No dia 19 de novembro de 1997, Bobbi e Kenny McCaughley trouxeram ao mundo seus sete bebês gêmeos — nascidos todos em um período de apenas seis minutos.

(Fonte: Reprodução / Rodney White)(Fonte: Reprodução/Rodney White)

Após o nascimento, Bobbi e as crianças tiveram que ficar três meses no hospital para serem cuidados. Ainda assim, dois dos bebês tiveram paralisia cerebral no parto, o que afetou seus movimentos e coordenação motora. Quando foram para casa, já eram quase celebridades. Jornalistas e fotógrafos estavam acampados na frente do hospital para obter o primeiro registro dos sétuplos: Kenny Jr., Brandon, Nathan, Joel, Alexis, Natalie e Kelsey.

O crescimento dos sétuplos

A parte mais difícil, após a gestação arriscada, ainda não havia se encerrado. Como a família McCaughley se tornou famosa e chegou a aparecer na capa de revistas de grande circulação, como a Time, houve muita especulação e críticas quanto à decisão do casal. Alguns veículos chamavam os pais de irresponsáveis por trazer tantos bebês ao mundo — o que seria, inclusive, nocivo ao planeta, segundo eles.

Por isso, a família resolveu que tornaria a sua vida com seus oito filhos mais privada, evitando as aparições públicas — que acontecem apenas uma vez por ano, no aniversário dos sétuplos. 

Os sétuplos se formaram na escola em 2016.Os sétuplos se formaram na escola em 2016.

Os sétuplos ganharam ainda apoio, dado pelo estado de Iowa, para custear as mensalidades das universidades que quisessem. Cada um decidiu por um caminho de acordo com seus sonhos. “Eu acho que todos nós nos tornamos muito independentes, e encontramos nossos talentos e competências”, disse Kelsey McCaughey em entrevista ao portal Today. Hoje, aos 24 anos, eles seguem impressionando a todos como os sétuplos mais longevos registrados na história.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.