As 5 bebidas regionais mais potentes do planeta
250
Compartilhamentos

As 5 bebidas regionais mais potentes do planeta

Último Vídeo

Ao viajar para outro país, é normal — e extremamente aconselhável — o fato de as pessoas conhecerem roupas, comidas e costumes específicos do local visitado. Dessa maneira, o viajante acaba entrando em contato com uma cultura completamente diferente, o que é muito divertido e até mesmo educacional, por assim dizer.

E, se você já tem 18 anos, o ato de experimentar bebidas alcoólicas também vai fazer parte da sua viagem — ainda mais porque, em certos lugares, os habitantes estão acostumados a beber alguns drinks bizarros. Com isso, você pode se divertir e acabar descobrindo o que a maioria dos “nativos” faz no seu tempo livre.

Pensando nisso, o site TopTenz listou algumas das bebidas regionais mais fortes que estão espalhadas ao redor do mundo. Portanto, se você gosta de beber (mas com responsabilidade) ou apenas se interessa pelo assunto, continue lendo este artigo. Talvez você descubra a receita de sucesso da próxima festa, não é mesmo?

1. Direto do país dos duendes

Fonte da imagem: Reprodução/Aferry

Apesar não ser altamente alcoólica, a Guinness Irlandesa é uma cerveja preta bastante saborosa e que costuma ser tomada em grandes quantidades pelos seus apreciadores — e é dessa característica que vem a sua “potência”. Além disso, ela é muito tradicional, criada em Dublin no século 18 e vendida em diversos países nos dias de hoje.

2. A famosa “marvada”

Fonte da imagem: Reprodução/Revistapib

Se o assunto é bebida forte, alcoólica e regional, é claro que a cachaça brasileira não pode ficar de fora. Ela é um dos ingredientes da caipirinha e é apreciada em todo o mundo — em países da Europa, por exemplo, ela tem um status parecido com o da tequila. Para melhorar, a média de teor alcoólico é de 40%, o que pode resultar em uma ressaca fenomenal.

3. É de uva e bem forte

Fonte da imagem: Reprodução/Clubregatas

Como você já deve ter imaginado, o vinho não é a única bebida originada das uvas. Entre os outros “drinks”, está o Pisco, que é um destilado feito em diversos países da América do Sul — com destaque para o Peru e Chile. O líquido foi inventado no século 16 pelos espanhóis e, agora, é produzido por 80 empresas diferentes, sendo que o teor alcoólico é parecido com o da cachaça.

4. Dos tempos realmente antigos

Fonte da imagem: Reprodução/CDN4

Inventada na Grécia por volta do século 14, o Ouzo é uma bebida que foi muito apreciada por monges — e, normalmente, ela tem um leve gosto de anis, o que a torna um tanto quanto parecida com o famoso absinto. Além disso, o teor alcoólico fica entre 40 e 50%, sendo que, no começo, os efeitos não são sentidos, mas é bem provável que a bebida “derrube” a pessoa em pouco tempo.

5. Uma sobrevivente

Fonte da imagem: Reprodução/LH5

A Bulgária é um país que passou por momentos difíceis, como duas guerras mundiais e a falência do regime comunista. Por conta disso, os habitantes da região começaram a fabricar sua própria bebida alcoólica, proveniente da fermentação de frutas. Com isso, popularizou-se a Raki, que tem um gosto bem forte e até 60% de álcool — ou seja: não é preciso de esforço para conseguir um porre daqueles...

Bônus

Fonte da imagem: Reprodução/Efecade

Uma das bebidas mais famosas de todo mundo é o grande Absinto. Famoso por ter uma quantidade de álcool bastante próxima dos 100%, ele foi posto em evidência pelo artista Vincent Van Gogh, que era um grande fã do licor.

O gosto da bebida é bem forte, sendo que ela costuma ser ingerida gelada e com um pouco de açúcar. No entanto, tenha cuidado, pois o Absinto é tão forte que o seu consumo em exagero pode causar danos ao cérebro.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.