8 dos coquetéis mais caros do mundo
272
Compartilhamentos

8 dos coquetéis mais caros do mundo

Último Vídeo

Você teria coragem de pagar mais de cem reais em um único drinque? E mais de mil reais? O que é praticamente inaceitável até para uma pessoa muito rica, pode acontecer em alguns estabelecimentos que servem os coquetéis mais caros do mundo. Afinal, existe quem não se importe em gastar rios de dinheiro em um copo com uma bebida que vai durar apenas alguns minutos.

Provavelmente destinadas aos bilionários ostentadores, essas criações levam ingredientes caríssimos ou raros e, por isso, têm o preço tão elevado. Será que os sabores e as sensações que eles conferem são tão bons assim para custar tanto? Confira abaixo oito dos coquetéis mais caros do mundo.

1 – The Winston

First We Feast

Custo: 12.916 dólares (quase 30 mil reais)

O The Winston, criado pelo bartender Joel Heffernan, para o Clube 23 de Melbourne, detém o título atual de coquetel mais caro do mundo. O drinque leva ingredientes caros, incluindo um tipo raro de noz-moscada e chocolate em pó e Grand Marnier Quintessence.

Mas o que deixa a bebida cara mesmo são as duas pequenas doses do conhaque Croizet Cuvee Leonie 1858, que custa 6 mil dólares por dose separada. Felizmente, para os bêbados que “enriquecem” a cada gole, o Winston não pode ser comprado por impulso. O bartender precisa ser informado do pedido do drinque com 48 horas de antecedência.

2 – Salvatore’s Legacy

Custo: 5.500 libras (cerca de 21 mil reais)

Antes do The Winston, era o Salvatore’s Legacy que detinha o título de drinque mais caro do mundo. Ele ganhou esse nome (traduzido como “O Legado de Salvatore”) porque foi batizado por um famoso colecionador de bebida chamado Salvatore Calabrese. O coquetel é produzido com o conhaque Clos de Griffier que data de 1778, além de curaçao de laranja de 1860 e angostura de 1900.

3 – City of Lights/My Cherry Amor

Custo: 1.500 - 2.000 dólares (3,4 mil e 4,5 mil reais)

Estes dois coquetéis foram criados para o clube noturno do Cirque du Soleil, que fica no Mandalay Bay em Las Vegas. O City of Lights tem o preço alto por levar na receita o raro conhaque Hennessy Paradis Imperial, enquanto o My Cherry Amor leva o famoso Dom Perignon Rose. O criador dos coquetéis Michael Monrreal afirma que ele fez as bebidas pensando nos grandes gastadores de Las Vegas.

4 – Ritz Paris Sidecar

Custo: 1.670 dólares (cerca de 3,8 mil reais)

O Ritz Sidecar também tem esse preço elevado devido ao uso de conhaque do século 19 em sua preparação, que vem de uma reserva de 1830 que antecedeu uma praga que tomou a maior parte das melhores uvas da França. É uma versão bem mais requintada do clássico Cointreau com suco de limão, sendo servido no famoso hotel Ritz de Paris, que é sinônimo de puro luxo.

5 – Kentucky Derby Mint Julep

Custo: 1.000 dólares (cerca de 2.270 reais)

O que acontece quando se combina uma das mais famosas joalherias do mundo com um drinque? Luxo puro e muita ostentação, é claro! Produzido pela Tiffany & Co., o copo em que o coquetel é servido é de cristal e adornado com prata.  

O drinque leva gelo vindo direto do Alasca, bourbon Woodford Reserve, folhas de hortelã cultivados localmente e açúcar demerara. Uma vantagem de pedir esse drinque é que o cliente pode ficar com o copo, o que é uma espécie de barganha, considerando o tanto de dinheiro investido.

6 – Mai Tai

Custo: 1.267 dólares (cerca de 2,8 mil reais)

Existem “Mai Tais” sendo vendidos em vários bares do mundo com preços normais. Porém, o Mai Tai original mesmo é servido no Merchant Hotel de Belfast. A bebida leva o caríssimo rum jamaicano J. Wray & Nephew que Trader Vic utilizou na versão original de 1940. Mas, porque ele é tão raro? Porque existem apenas seis garrafas desse rum no mundo, o que eleva demais o preço do coquetel.

7 – B&B King

Custo: 490 euros (cerca de 1,5 mil reais)

O cardápio do Purple Bar de Londres, localizado no luxuoso Sanderson Hotel, descreve o B&B King como "o coquetel mais opulento" atualmente disponível na cidade. Preparado com dois ingredientes caríssimos que datam de 1940, o drinque leva conhaque Martell e licor Benedictine. Perfeito para acompanhar um dos hambúrgueres do bar, que custam cerca de 70 reais cada.  

8 – Magie Noir

Custo: 630 dólares (cerca de 1,4 mil reais)

O Magie Noir, ou “magia negra”, foi criado pelo barman Giles Andreis, do clube noturno Umbaba, de Londres, a mando de dois banqueiros do Goldman Sachs para comemorar seus ganhos.

O Magie Noir combina conhaque Hennessy e champanhe Dom Perignon com licor de amora, lichia, capim-limão e casca de yohimbe, uma planta herbal nativa da África que alguns consideram afrodisíaca, mas o FDA a considera como uma substância perigosa.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.