Aprender enquanto dormimos: a ciência pode estar perto dessa delícia

Aprender enquanto dormimos: a ciência pode estar perto dessa delícia

Último Vídeo

Um dos episódios mais hilários de “Friends” é quando o Chandler resolve ouvir uma fita de hipnose durante o sono para tentar largar o vício pelo cigarro. Ainda que o sono seja fundamental para fixarmos o que aprendemos durante o dia, tratamentos como esse nunca mostraram uma eficácia muito grande. Pelo menos não até agora...

A ideia de adquirirmos algum conhecimento específico enquanto dormimos não é de hoje: na década de 1920, por exemplo, uma engenhoca chamada PsychoPhone prometia fazer as pessoas perderem peso e até ensinar técnicas de conquista para trazer o amado de volta! E quem é que não gostaria de aprender uma nova língua ou emagrecer sem esforço nenhum?

Um novo estudo, publicado no começo do mês na revista Nature Communications, tenta desvendar esse lance do aprendizado fácil – muita gente desacredita que seja possível. A pesquisa foi comandada pelo neurocientista francês Thomas Andrillon e contou com a participação de 20 voluntários que nunca tiveram distúrbios de sono. A equipe de Andrillon descobriu que somos, sim, capazes de formular memórias enquanto dormimos!

Escola do futuro?

Para chegar a essa conclusão, os cientistas tocaram sequências de ruídos brancos, isto é, sinais aleatórios com diferentes frequências que criam uma potência constante. Isso ativa nossa audição em seu potencial máximo, sendo capaz de estimular o córtex cerebral enquanto dormimos!

Quando os indivíduos acordavam, essa mesma sequência era tocada para eles pensarem nela enquanto a ouviam e tentarem reproduzir o que viria logo depois. Curiosamente, a maioria realmente aprendeu apenas de ouvir os ruídos durante o sono!

Claro que as fitas de hipnose noturna não funcionam como o ruído branco, por isso não possuem uma eficácia comprovada. Porém, saber que é possível criarmos memórias mesmo enquanto dormimos pode ser um primeiro passo para no futuro criarmos técnicas de aprendizado que realmente se beneficiem disso.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.