É seguro comer alimentos congelados com aquela camada de gelo por cima?

É seguro comer alimentos congelados com aquela camada de gelo por cima?

Último Vídeo

Imagine a cena: domingo à noite, bate aquela vontade de comer um doce. Você se lembra que guardou o restinho daquele sorvete que, de tão cremoso, o gosto já vem na boca. Você abre o freezer, encontra o pote da felicidade, mas, em segundos, sua alegria suprema se transforma em descontentamento absoluto.

Ao abrir a embalagem, você se depara com uma indesejada camada de gelo cobrindo o sorvete guardado com tanto carinho. E, aí, bate aquela dúvida: será que está estragado? Dá para comer sorvete assim ou é melhor descartá-lo? O que é essa camada “aguada” que insiste em pregar peças justamente quando nos lembramos dos alimentos esquecidos no cantinho do congelador? 

No fime "Mãe é Mãe" (1996), a senhorinha tenta convencer o filho de que o gelo não passa de uma camada protetora, sendo que o que interessa está preservado ali debaixo. É uma boa tentativa de salvar a comida quase perdida, mas vamos explicar o que acontece na prática.

Tanto o sorvete como também outros alimentos congelados após certo tempo passam por esse processo que é completamente normal e quase que inevitável. Chama-se sublimação e é justamente quando a água em forma sólida, em um ambiente seco — com determinadas condições de temperatura e pressão  passa diretamente ao estado gasoso. O gelo vaporiza — ou melhor, sublima.

Para facilitar o raciocínio, vamos pensar na água em estado líquido que, quando aquecida, se transforma em vapor. Se deixarmos uma panela tampada aquecendo no fogo, a água, quando ferve, começa a evaporar. O vapor quando toca a tampa é condensado novamente, depositando-se ali em gotículas. É exatamente isso que acontece, só que no outro extremo da escala de temperatura e de maneira bem mais lenta.

Alimentos possuem água em seu interior e, quando congelados em embalagens não herméticas, vão desidratando. A água que sai no ambiente fechado do freezer acaba sendo depositada novamente ali por cima, formando a desagradável camada branca de gelo que deixa a superfície da sua comida com aspecto e textura ressecada, como se estivesse queimada pelo gelo.

A boa notícia é que o alimento não necessariamente estraga devido a esse processo, mas com certeza estará mais insosso, menos tenro e sem frescor. Sendo assim, se você não tiver uma segunda opção ou o desespero for grande, coma feliz — mas não espere o mesmo sabor.

Como evitar

Alimentos que quase não contêm água são os que menos sofrem efeito da sublimação; é o caso, por exemplo, das castanhas e farinhas. Quase não há motivo para se preocupar com esses itens no congelador, mas lembre-se que eles também não são eternos e vão ficar ruins se você os esquecer por lá.

Já as comidas suculentas, como pedaços de carne, legumes e sorvetes, perdem facilmente água por sublimação e costumam logo dar sinais de freezer burn.

Portanto, para evitar ou retardar esse efeito, embale bem os produtos, pois isso ajuda a manter o ar seco do freezer longe do contato com a água do alimento. Como o processo é lento, sopas e caldos costumam demorar mais a perder sua cremosidade.

Outra dica é manter o freezer bem gelado, uma vez que a sublimação ocorre quando o ambiente está seco e o gelo, próximo da temperatura de derretimento. Quanto mais baixa for a temperatura, menores as chances de queimar a comida.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.