Nova tecnologia revela resquícios desconhecidos da civilização Maia
07
Compartilhamentos

Nova tecnologia revela resquícios desconhecidos da civilização Maia

Último Vídeo

Estando em 2018, seria de se imaginar que, a essa altura, todos os monumentos da Antiguidade ainda em pé já teriam sido descobertos, certo? Errado.

Por incrível que pareça, graças às novas tecnologias, muitos vestígios de antigas civilizações só estão sendo descobertos recentemente. E um deles acaba de ser revelado graças a uma tecnologia mais conhecida por sua utilização em exploração espacial, os lasers LiDar.

Trata-se de uma inovação que emite luz pulsada sobre uma área e mede o que é refletido por meio de um sensor, que permite gerar uma visão tridimensional de alta resolução. É quase como jogar uma poeira colorida sobre um fantasma, de maneira que, assim, se possam identificar as suas formas.

Foi assim que um grupo formado por 18 pesquisadores em Antropologia — que resolveram se juntar, em um esforço internacional considerado o maior estudo já feito com LiDAR sobre a arqueologia mesoameriana — mapearam 2.144 km² e identificaram 61.480 estruturas construídas sob uma floresta da Guatemala em uma região que, eles estimam, deve ter abrigado entre 7 e 11 milhões de pessoas.

Atribuídas aos povos maias, que viveram na região da América Central dos anos de 1000 a.C. até a chegada dos europeus às Américas, em 1500, as construções e delimitações encontradas indicam a organização de grandes e pequenas cidades e sugerem uma série de funcionamentos dessa civilização; por exemplo, as maneiras como organizavam sua demografia, agricultura e economia, entre outros.

"As redes de calçada que vemos refletem um tempo anterior para os maias — o que chamamos de pré-clássico —, quando as cidades eram ligadas por longas estradas que atravessavam a paisagem da selva”, disse Thomas Garrison, arqueólogo da Ithaca College e coautor do estudo.

“No período clássico, os maias foram divididos em dezenas de cidades-estados competidoras, cada uma com sua própria dinastia local. Parece que parte da manutenção desses reinos envolveu investimentos em projetos substanciais de infraestrutura para integrar a população (vias internas), alimentar as pessoas (extensos sistemas de campo) e proteger o reino (terraplanagem defensiva)”, observa.

Estima-se que a civilização maia tenha ocupado cerca de 95 quilômetros quadrados e, sem dúvida, foi uma das mais importantes da história das Américas. "Eu tenho andado pelas selvas da área de Maya por 20 anos, mas esse trabalho me mostrou o quanto eu não tinha visto. Havia três a quatro vezes mais estruturas do que eu imaginava. Um local onde eu trabalho, El Palmar, é agora 40 vezes maior do que pensávamos! Esse é um tipo de lugar totalmente diferente do que imaginamos  e isso requer uma interpretação completamente nova ”, reflete.

Liderados por Marcello A. Canuto, da Universidade de Tulane, os pesquisadores mapearam uma dúzia de áreas diferentes em Petén, na Guatemala, fazendo uma pesquisa em duas etapas que durou 2 anos  primeiro com o LiDAR, depois com verificações do terreno feitas com novas escavações nos locais, entre 2016 e 2017.

Entre as estruturas encontradas está uma pequena pirâmide que fica bem no centro da antiga cidade de Tikal, o que surpreendeu os pesquisadores com relação ao fato de ela ter permanecido oculta até agora.

Embora tenha a capacidade de revelar verdadeiros tesouros arqueológicos e forneça as bases para pesquisas mais avançadas sobre as civilizações, a tecnologia apresenta uma limitação: ela mostra o que ainda está ali, mas não tem a capacidade de identificar de qual fase de desenvolvimento da civilização data cada construção. Então, se você estava preocupado com a tecnologia ocupando trabalhos do ser humano, saiba que ainda é preciso muito trabalho arqueológico para conhecer mais profundamente cada construção.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.