Grupo turístico encontra 'marcas de bruxas' no Reino Unido

Grupo turístico encontra 'marcas de bruxas' no Reino Unido

Último Vídeo

Um grupo de turistas encontrou por acaso o maior conjunto de sinais de proteção já registrado no Reino Unido. As inscrições, conhecidas popularmente como “marcas de bruxas”, foram ignoradas por quase duas décadas pelas pessoas que passaram por elas. As imagens foram apontadas pelos visitantes nas cavernas de Creswell Crags, que ficam na divisa dos condados de Nottinghamshire e Derbyshire. Até então, pesquisadores e guias acreditavam que se tratavam de meros grafites.

Quando resolveram observar as inscrições mais de perto, os guias turísticos Ed Waters e Hayley Clark perceberam que se tratavam das famosas marcas. Imagens semelhantes foram feitas em entradas de igrejas e casas ao longo dos séculos como uma forma de afastar maus espíritos.

Em Creswell Crags, as inscrições mais comuns são “VV” e “PM”, que significariam, respectivamente, Virgem Maria e Pace Maria. Acredita-se que outros símbolos, como linhas diagonais, caixas e labirintos, foram adicionados para capturar espíritos malignos e evitar doenças, mortes e colheitas ruins.

A importância da descoberta

“Ainda tentamos entender a importância dessa descoberta. É estranho pensar que, 11 mil anos depois da Era do Gelo, os moradores locais voltaram a fazer marcas em rochas por conta de superstições”, comentou Paul Baker, diretor de Creswell Crags. O local é um desfiladeiro de calcário de 0,5 km que fica no início de um complexo de cavernas, usado por diferentes grupos humanos ao longo dos últimos 60 mil anos. A expectativa é de que ele seja reconhecido como um Patrimônio da Humanidade pela Unesco até 2020.

“Creswell Crags tem importância internacional por conta de inscrições da Era do Gelo. Encontrar essas marcas de proteção de um passado mais recente leva a uma nova camada de descobertas”, explicou Duncan Wilson, chefe do Historic England, um órgão do governo britânico. “O interior da Inglaterra era muito diferente há 200 anos. A morte e as doenças eram companheiras cotidianas das pessoas, então era fácil imaginar forças do mal escondidas em lugares escuros. Só podemos especular sobre o que elas acreditavam que podia sair dessas cavernas”, completou ele.

Agora, a equipe responsável por Crewswell Crags conta com a ajuda de especialistas para entender o significado das centenas de marcas de bruxas. Antes da descoberta, o maior acervo desse tipo no Reino Unido estava em uma caverna localizada no condado de Somerset, com pouco mais de 50 inscrições.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.