Carne branca afeta colesterol igual a carne vermelha, diz pesquisa

Carne branca afeta colesterol igual a carne vermelha, diz pesquisa

Último Vídeo

Uma das principais recomendações na hora de começar uma nova dieta é reduzir o consumo de carne vermelha e optar pelas carnes brancas (aves e peixes), consideradas menos gordurosas. Entretanto, uma pesquisa diz que o consumo de carne branca pode elevar os níveis de colesterol no sangue tanto quanto a ingestão carne vermelha.

O resultado surpreendeu até os mesmos cientistas envolvidos na pesquisa. De acordo com Ronald Krauss, pesquisador sênior do Hospital Infantil e Centro de Pesquisa Oakland, na Califórnia, a expectativa era de que a carne vermelha tivesse um resultado mais adverso nos níveis de colesterol, o que não aconteceu.

Foram analisadas 113 pessoas, escolhidas aleatoriamente para manter uma dieta de alta ou de baixa gordura saturada sem a ingestão de suplementos ou álcool. Três dietas foram realizadas durante a pesquisa: uma de carne vermelha (principalmente carne bovina), uma com carne branca (frango e peru) e uma dieta sem proteína (legumes, nozes, grãos e produtos de soja).

Foto: Freepik

Cada dieta aconteceu por um período de quatro semanas com um intervalo para a pessoa manter seus hábitos alimentares regulares. No começo e ao final de cada dieta, os participantes realizaram exames de sangue.

Os resultados mostraram que carnes brancas e vermelhas tiveram os mesmos efeitos nos níveis de colesterol no sangue, já que todas as pessoas tiveram seus índices de colesterol LDL (o mau colesterol) aumentados, independente da quantidade de gordura saturada na dieta.

A gordura saturada aparece normalmente em carnes bovinas muito gordurosas, aves com pele, manteiga, creme e queijos. O excesso de colesterol LDL aumenta o risco de problemas cardíacos e derrames.

A pesquisa também revelou a necessidade de ampliar as dietas sem proteínas, pois nesta dieta, as pessoas apresentaram pouco colesterol LDL.

A descoberta foi publicada no Jornal Americano de Nutrição Clínica. Porém, apesar de rigoroso e bem executado, o estudo é pequeno e relativamente curto e novas pesquisas poderão ser realizadas a partir de agora.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.