Tsunami em Marte? Cientistas garantem que já aconteceu

Tsunami em Marte? Cientistas garantem que já aconteceu

Último Vídeo

Afinal, já existiu vida em Marte? Ou seria o planeta um destino viável para futuras férias de verão? Essas são algumas questões que rondam os mistérios do planeta vermelho e que sempre aparecem nas discussões científicas. E para responder essas dúvidas, pesquisadores tentam há anos comprovar a existência de água no planeta e isso está cada vez mais próximo de acontecer.

Uma pesquisa publicada recentemente no Journal of Geophysical Research: Planets, diz que além de um meteoro ter atingido Marte e deixado uma cratera de 120 quilômetros  de comprimento (conhecida como Lomonosov) na região norte do planeta, um mega tsunami atingiu Marte e deixou marcas visíveis em sua superfície. Pois é, você não leu errado. De acordo com a pesquisa, um tsunami (aquele mesmo que acontece nos mares) teria acontecido por lá.

Cratera ao norte de Marte teria abrigado oceano
Cratera ao norte de Marte teria abrigado oceano. Foto: Alexander Antropov/Pixabay

A afirmação dos cientistas é baseada em marcas na cratera, que se assemelham as características encontradas em crateras marinhas da Terra. Isso leva os pesquisadores a acreditarem que grandes volumes de água já passaram por Marte, principalmente ao analisar um buraco na região sul da cratera, que poderia ter abrigado um oceano.

Já existem outras provas de que haveria existido vida em Marte desde julho de 2018, quando um equipamento enviado ao planeta com o objetivo de encontrar a presença de água no estado líquido achou um lago com mais de 1,6 quilômetros de profundidade e com cerca de 20 quilômetros de comprimento. 

Mesmo com essas informações promissoras, o jornal americano The New York Times, faz uma ressalva: mesmo que tenha existido água em algum momento em Marte, a temperatura ambiente provavelmente foi uma barreira na existência de vida no planeta - ao menos como conhecemos aqui no planeta azulzinho.  

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.