Físico mexicano cria técnica para corrigir erro na fabricação de lentes

Físico mexicano cria técnica para corrigir erro na fabricação de lentes

Último Vídeo

Na teoria, uma boa lente construída com vidro curvo deve ser capaz de redirecionar todos os raios de luz que passam através dela para um ponto focal. Mas na prática existe uma pequena diferença na refração, bem como imperfeições em sua construção, forma e materiais que contribuem para que alguns desses raios de luz, especialmente os que entram na lente perto de suas extremidades, perdendo o alvo (ou o foco). Esse problema comum em  todas as lentes atuais  é conhecido como aberração esférica.

Fonte: Pixabay

Embora as fabricantes estejam cada vez mais modernas e atentas a esse tipo de imperfeição, aplicando melhorias no design que atenuam efeitos causados pela aberração esférica, até o momento, a indústria ainda entendia essa questão como algo caro e difícil de projetar.

Com 28 anos, o físico mexicano Rafael G. González, que recebeu grande apoio do professor Julio César Gutiérrez já havia publicado 4 artigos sobre este assunto, dedicou-se incansavelmente para conseguir apresentar uma equação mental que fornece uma solução analítica para neutralizar a aberração esférica apresentando números perfeitos para uma projeção opticamente perfeita.

Reprodução: Tecnológico de Monterrey

O avanço não traria apenas a correção de um processo físico comum à fotografia, mas sim, uma nova forma de pensar e projetar – com menos elementos – uma lente com custo consideravelmente mais em conta aliada a uma imagem aprimorada. Gutiérrez acredita ainda que essa descoberta, após décadas sem resposta, possa abrir caminho para outras soluções ainda inimagináveis.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.