Serviço robótico de manutenção de satélites entra em órbita

Serviço robótico de manutenção de satélites entra em órbita

Último Vídeo

Enquanto a Space X mudou o cenário dos lançamentos de foguetes usando seu Falcon em repetidas idas e vindas ao espaço, a Space Logistics faz sua parte usando o Mission Extension Vehicle 1 (MEV 1), que subiu ao espaço nesta quarta (9) com o objetivo de reanimar o satélite de comunicações Intelsat 901 (IS 901), lançado em 9 de junho de 2001 (e com vida útil de 13 anos). A linha MEV consiste em espaçonaves projetadas para consertar, realinhar e abastecer satélites em órbita da Terra.

O MEV 1 precisará ainda de três meses e meio para subir até onde o IS 901 (agora quase sem combustível) está. Enquanto isso, os controladores da Intelsat enviarão comandos para o satélite elevar sua altitude em 300 quilômetros até a chamada órbita cemitério, onde a atracação vai acontecer (uma forma de reduzir o risco de outros satélites ativos serem atingidos por detritos espaciais, em caso de acidente).

Representação artística de como o MEV-1 funciona, acoplando-se ao satélite envelhecido e funcionando como um motor de propulsão extra. (Fonte: SpaceFlight Insider/ Nathan Koga)

Manobra dará mais cinco anos de vida ao IS 901

Quando os dois se encontrarem, a 40 mil quilômetros da superfície da Terra, o MEV 1 se acoplará ao motor do velho satélite e, assumindo a propulsão, vai levá-lo a uma órbita geoestacionária. A partir de então, será do MEV 1 a manutenção orbital e as funções de controle de atitude.

No caso do IS 901, sua vida útil será de mais cinco anos. Ao fim deste período, ele será levado à órbita cemitério e o MEV 1, deslocado para outro trabalho, já que tem combustível suficiente para garantir mais de 15 anos de manutenção. Um ano de seus serviços custa US$ 13 milhões (cerca de R$ 53 milhões). A Space Logistics planeja lançar o MEV 2 em meados de 2020 para atender outro satélite da Intelsat, o Galaxy 30.

Serviço robótico de manutenção de satélites entra em órbita via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.