Coleira inteligente ajuda na seleção de cães-guia

Coleira inteligente ajuda na seleção de cães-guia

Último Vídeo

São diversas as doenças e circunstâncias desfavoráveis que podem comprometer a visão das pessoas ao longo da vida, e a perspectiva é que em 2050 o número de pessoas cegas tenha triplicado. Diante da maior demanda para treinar novos cães-guia, agora os treinadores contam com uma nova coleira inteligente que foi desenvolvida para auxiliar na tarefa de descobrir quais cães estão mais aptos a serem cães-guia.

Por meio de uma parceria, a IBM e a organização Guiding Eyes for the Blind conseguiram desenvolver uma coleira que, com o uso da inteligência artificial, é capaz de monitorar alguns dados sobre os cães desde filhotes, como a frequência cardíaca, a forma como se movem e a reação a situações novas, identificando como eles se comportam na presença de um cão desconhecido, por exemplo.

(Fonte: Tanner Vines / Unsplash)

Funcionamento da coleira inteligente

Muitos dos dados coletados pela chamada Smart Collar são sobre o temperamento dos cães que, por ser complexo, é difícil de ser interpretado pelas pessoas. Para auxiliar nessa tarefa, todas as informações reunidas pela coleira são analisadas por um supercomputador da IBM capaz de fazer associações de dados complexos e prever a até mesmo probabilidade de sucesso do treinamento. Atualmente, o treinamento de cães-guia dura dois anos, custa em média US$ 50 mil, e a taxa de sucesso está em torno de 30%.

Os pesquisadores irão coletar dados sobre os cães nos próximos dois anos e pretendem otimizar recursos e aumentar a taxa de sucesso dos treinamentos de novos cães-guia. Por isso, a expectativa é que esse novo recurso possibilite identificar quais mudanças seriam necessárias no treinamento dos animais e até mesmo quais cachorros não seriam indicados a seguir com o treinamento.

(Fonte: Steffen Kastner / Unsplash)

Identificar qual personalidade o cachorro possui é fundamental no processo de treinamento de cães-guia, que já inicia quando eles ainda são filhotes. É necessário que o cachorro tenha boa capacidade de concentração e uma personalidade amistosa e resiliente para que o cão possa, após o treino, estar ao lado das pessoas que precisam de auxílio e de maior independência no dia a dia, transformando a parceria com o melhor amigo do homem em um laço capaz de tornar a vida mais alegre.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.