Seja o primeiro a compartilhar

Mãe revê filha morta recriada por realidade virtual

No filme A.I.: Inteligência Artificial, uma mãe adota um androide para substituir o filho, vítima de uma doença incurável. A realidade se aproximou um pouco mais dessa ficção no encontro entre uma mulher e sua filha Nayeon, uma menina de sete anos morta pela leucemia em fins de 2017.

GHif

A iniciativa partiu da Munhwa Broadcasting Corporation (uma das principais redes de rádio e TV da Coreia do Sul), com o projeto I Met You, cujo objetivo era recriar Nayeon usando realidade virtual para que sua mãe, Jang Ji-sung, pudesse reencontrá-la.

O passo primeiro foi reunir fotos e gravações de áudio e vídeo da menina. Além disso, a produção contratou atores para capturar seus movimentos e, assim, recriar Nayeon em VR mais realisticamente.

Havia apenas um minuto gravado com a voz da filha de Jang Ji-sung. Por isso, atrizes mirins cederam suas vozes e expressões faciais para a menina que estava sendo recriada.

Oito meses depois, a mãe reencontrou sua filha morta, em um parque virtual semelhante ao que ambas frequentavam.

Apenas lembranças

Existem no mercado outras iniciativas cujo objetivo é imortalizar um ente querido depois que ele morre, usando entrevistas, sua pegada digital e quaisquer outras informações para criar um bot e um avatar. 

Uma das mais conhecidas é o Dadbot, um bot criado pelo pesquisador James Vlahos para preservar a memória do pai (morto por câncer de pulmão) e que deu origem è empresa HereAfter, que usa inteligência artificial para eternizar uma pessoa.

O Dadbot em ação. (Fonte: Wired/James Vlahos/Reprodução)

Outra plataforma é a Etermine, que coleta informações da vida digital da pessoa (como textos, fotos, vídeos) através de sua presença online e em mídias sociais. Um avatar é criado a partir desse banco de dados.

“Como se sabe que a pessoa se foi, seu equivalente virtual acaba sendo aceito como o que realmente é: uma lembrança reconfortante. Não há nada de errado ou antiético nisso", disse o neurocientista de Princeton Michael Graziano ao site Dell Technologies.

Mãe revê filha morta recriada por realidade virtual via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER