SpaceX coloca mais 60 satélites Starlink no espaço

SpaceX coloca mais 60 satélites Starlink no espaço

Último Vídeo

Coincidindo com o 80º voo do Falcon 9 ao espaço, a SpaceX, companhia fundada pelo megaempresário Elon Musk, lançou mais um lote de 60 satélites Starlink à órbita terrestre, ampliando o número para um total de 300 já estacionados. Lançado da base de Cabo Canaveral às 10 da manhã da segunda-feira, dia 17, a ação consiste em um plano que busca levar conectividade de internet de forma barata e rápida para locais isolados como bases distantes, embarcações em alto-mar e comunidades de pouco acesso à rede.

https://www.engadget.com/2020/02/06/spacex-starlink-spinoff/
(Fonte: SpaceX/Reprodução)

A iniciativa do projeto de Elon Musk dá continuidade ao plano de levar 42.000 satélites para orbitar o planeta. Porém, trata-se de uma atividade de processo lento já que envolve transportes espaciais, e especula-se que o Falcon 9 terá que realizar quase 700 voos para completar a entrega dos equipamentos, caso siga o ritmo de lotes de 60. Apesar disso, a companhia tem uma autorização muito restrista para instalação de satélites, com um limite de 12 mil, algo que deverá ser resolvido nos próximos anos.

Com o início em janeiro de 2019, a companhia afirma que, para obter uma cobertura mínima da pretendida, deverá ter realizado a instalação de cerca de 400 unidades em órbita, enquanto 800 são requeridos para obter uma cobertura moderada. 

"O lançamento de hoje de 60 satélites Starlink para a órbita marcou o 80º vôo bem-sucedido do Falcon 9! Mais fotos →http://flickr.com/spacex"

Surgem as preocupações

Apesar do lançamento para a distribuição dos satélites ter sido um sucesso, um evento em específico chamou a atenção dos técnicos da SpaceX. Segundo equipe, o primeiro estágio do foguete não conseguiu realizar o pouso como previsto, perdendo-se no mar sob a plataforma de pouso. O incidente, que ainda vem sendo investigado por ter ocorrido por razões desconhecidas, não chega a preocupar a equipe, mas liga o alerta para evitar a perda de equipamentos e aumentar um custo que, por si só, já é relativamente alto.

Há preocupação também dos profissionais astrônomos, que acreditam que a rede orbital de satélites poderá impactar no brilho natural espacial, "poluindo" a atmosfera e ofuscando o céu estrelado.

https://en.wikipedia.org/wiki/SpaceX_Starlink
(Fonte: SpaceX/Reprodução)

A rede Starlink está prevista para operar até metade de 2020, atendendo inicialmente clientes norte-americanos e canadenses.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.